6 Foi então que Salomão disse:+ “O próprio Jeová disse que ia residir em densas trevas;+ e eu, da minha parte, construí para ti uma casa de morada excelsa+ e um lugar estabelecido para nele morares por tempo indefinido.”*+

O rei voltou então a sua face e começou a abençoar+ toda a congregação* de Israel, enquanto toda a congregação de Israel estava de pé.+ E ele prosseguiu, dizendo: “Bendito seja Jeová, o Deus de Israel,+ que falou com a sua própria boca com Davi, meu pai,+ e que pelas suas próprias mãos deu cumprimento,+ dizendo: ‘Desde o dia em que fiz meu povo sair da terra do Egito não escolhi cidade dentre todas as tribos de Israel, a fim de construir uma casa para que o meu nome+ mostrasse estar ali, e não escolhi homem para que se tornasse líder do meu povo Israel.+ Mas escolherei Jerusalém+ para que o meu nome mostre estar ali e escolherei a Davi para vir a estar sobre o meu povo Israel.’+ E ficou achegado ao coração de Davi, meu pai, construir uma casa ao nome de Jeová, o Deus de Israel.+ Mas Jeová disse a Davi, meu pai: ‘Visto que ficou achegado ao teu coração construir uma casa ao meu nome, fizeste bem, pois isso se mostrou achegado ao teu coração.+ Apenas tu mesmo não construirás a casa,+ mas teu filho, que sai dos teus lombos, é quem construirá a casa ao meu nome.’+ 10 E Jeová passou a cumprir a sua palavra+ que falara, para que eu me levantasse em lugar de Davi, meu pai,+ e me sentasse no trono+ de Israel, assim como Jeová havia falado,+ e para que eu construísse a casa ao nome de Jeová, o Deus de Israel,+ 11 e para que eu colocasse ali a Arca,+ onde está o pacto de Jeová, que ele concluiu com os filhos de Israel.”+

12 E ele começou a ficar de pé diante do altar de Jeová, na frente de toda a congregação de Israel,+ e então estendeu as palmas das suas mãos.+ 13 (Porque Salomão tinha feito uma tribuna+ de cobre e a pôs então no centro do cercado.+ Tinha cinco côvados* de comprimento, e cinco côvados de largura, e três côvados de altura; e ele ficou de pé sobre ela.) E passou a dobrar os joelhos+ na frente de toda a congregação de Israel e a estender as palmas das suas mãos para os céus.+ 14 E prosseguiu, dizendo: “Ó Jeová, Deus de Israel,+ não há Deus* igual a ti+ nos céus nem na terra, guardando o pacto+ e a benevolência para com os teus servos que andam diante de ti de todo o seu coração;+ 15 tu, que cumpriste para com o teu servo Davi, meu pai, aquilo que lhe prometeste,+ de modo que fizeste a promessa* com a tua boca e deste cumprimento com a tua própria mão, como no dia de hoje.+ 16 E agora, ó Jeová, Deus de Israel, cumpre para com o teu servo Davi, meu pai, aquilo que lhe prometeste, dizendo: ‘Não se decepará diante de mim homem teu, [impedindo-o] de sentar-se no trono de Israel,+ se os teus filhos+ tão-somente cuidarem do seu caminho, andando na minha lei,+ assim como tu andaste diante de mim.’+ 17 E agora, ó Jeová, Deus de Israel,+ mostre-se fidedigna a tua promessa*+ que fizeste ao teu servo Davi.+

18 “Porém, morará Deus verdadeiramente com a humanidade* na terra?+ Eis que o céu, sim, o céu dos próprios céus não te podem conter;+ quanto menos, então, esta casa que construí!+ 19 E terás de virar-te para a oração de teu servo+ e para o seu pedido de favor,+ ó Jeová, meu Deus, escutando o clamor suplicante+ e a oração com que teu servo está orando diante de ti,+ 20 a fim de que os teus olhos se mostrem abertos+ para com esta casa, dia e noite, para com o lugar de que disseste que porias nele o teu nome,+ escutando a oração com que teu servo ora em direção a este lugar.+ 21 E terás de escutar os rogos do teu servo+ e do teu povo Israel quando orarem em direção a este lugar,+ para que tu mesmo ouças desde o lugar da tua morada, desde os céus;+ e terás de ouvir e perdoar.+

22 “Se um homem pecar contra o seu próximo+ e realmente puser sobre ele uma maldição, para sujeitá-lo+ à maldição, e ele realmente vier [dentro da] maldição perante o teu altar nesta casa,+ 23 então que tu mesmo ouças desde os céus,+ e terás de agir+ e julgar os teus servos, a fim de pagar de volta ao iníquo, lançando o seu proceder* sobre a sua própria cabeça+ e declarando justo ao justo,+ dando-lhe segundo a sua própria justiça.+

24 “E se o teu povo Israel for derrotado diante dum inimigo,+ porque estiveram pecando contra ti,+ e eles deveras voltarem+ e elogiarem o teu nome,+ e orarem+ e fizerem um pedido de favor diante de ti nesta casa,+ 25 então que tu mesmo ouças desde os céus,+ e terás de perdoar+ o pecado do teu povo Israel e trazê-los de volta+ ao solo que deste a eles e aos seus antepassados.+

26 “Quando os céus estiverem cerrados de modo que não venha a haver chuva,+ porque estiveram pecando+ contra ti, e eles realmente orarem em direção a este lugar+ e elogiarem o teu nome, [e] recuarem do seu pecado, por tu os teres atribulado,+ 27 então que tu mesmo ouças desde os céus, e terás de perdoar o pecado dos teus servos, sim, do teu povo Israel, porque os instruis+ quanto ao bom caminho+ em que devem andar; e terás de dar chuva+ sobre a tua terra que deste ao teu povo como propriedade hereditária.+

28 “Caso ocorra uma fome+ no país, caso ocorra uma pestilência,+ caso venha a haver crestamento+ e bolor,+ gafanhotos+ e baratas;+ caso seus inimigos+ os sitiem na terra dos seus portões*+ — qualquer tipo de praga, qualquer tipo de enfermidade+29 qualquer oração,+ qualquer pedido de favor+ que venha a haver da parte de qualquer homem ou de todo o teu povo Israel,+ por conhecerem, cada um, a sua própria praga+ e a sua própria dor; quando ele realmente estender as palmas das suas mãos para esta casa,+ 30 então que tu mesmo ouças desde os céus, lugar da tua morada,+ e terás de perdoar+ e dar a cada um segundo todos os seus caminhos,+ porque conheces o seu coração+ (pois somente tu mesmo conheces bem o coração dos filhos da humanidade);+ 31 a fim de que te temam,+ andando nos teus caminhos todos os dias em que estiverem vivos na superfície do solo que deste aos nossos antepassados.+

32 “E também ao estrangeiro que não faz parte do teu povo Israel+ e que realmente vem duma terra distante por causa do teu grande nome,+ e da tua forte mão,+ e do teu braço estendido,+ e eles realmente vêm e oram em direção a esta casa,+ 33 então que tu mesmo ouças desde os céus, do teu lugar estabelecido de morada,+ e terás de fazer segundo tudo aquilo pelo qual o estrangeiro te invocar;+ para que todos os povos da terra conheçam o teu nome+ e te temam+ assim como teu povo Israel faz, e para que saibam que o teu nome tem sido invocado sobre esta casa que construí.+

34 “Caso teu povo saia à guerra+ contra os seus inimigos no caminho em que os envias+ e eles deveras orem+ a ti em direção a esta cidade que escolheste e à casa que construí ao teu nome,+ 35 então terás de ouvir desde os céus a sua oração e o seu pedido de favor,+ e terás de executar o julgamento para eles.+

36 “Caso pequem contra ti,+ (pois não há homem que não peque,)+ e tenhas de irar-te com eles e entregá-los a um inimigo, e seus captores realmente os levem cativos a uma terra distante ou próxima;+ 37 e eles deveras voltem ao seu juízo* na terra à qual foram levados cativos, e realmente retornem e te façam um pedido de favor na terra em que estiverem cativos,+ dizendo: ‘Pecamos,+ erramos+ e agimos iniquamente’;+ 38 e eles deveras retornem a ti de todo o seu coração+ e de toda a sua alma, na terra onde forem cativos+ dos que os levaram cativos, e deveras orem em direção à sua terra que deste aos seus antepassados, e à cidade que escolheste,+ e à casa que construí ao teu nome;+ 39 então, desde os céus, do teu lugar estabelecido de morada,+ terás de ouvir a sua oração e o seu pedido de favor,+ e terás de executar julgamento+ para eles e perdoar+ ao teu povo que pecou contra ti.

40 “Agora, ó meu Deus, por favor, mostrem-se os teus olhos+ abertos e os teus ouvidos+ atentos à oração concernente a este lugar. 41 E agora levanta-te,+ ó Jeová Deus, [entrando] no teu descanso,+ tu e a Arca da tua força.+ Vistam-se de salvação os próprios sacerdotes teus, ó Jeová Deus, e alegrem-se em bondade+ aqueles mesmos que te são leais. 42 Ó Jeová Deus, não faças recuar a face do teu ungido.*+ Lembra-te deveras das benevolências* para com Davi, teu servo.”+