• Despertai! — 2004
  • A febre do feno — por que aflige tantos?

A febre do feno por que aflige tantos?

DO REDATOR DE DESPERTAI! NA ESPANHA

OLHOS irritados e lacrimejantes, espirros o dia todo, coriza e dificuldade de respirar. Que sintomas são esses? Pode ser um resfriado. Mas se eles surgem apenas quando há pólen no ar, você pode muito bem estar sofrendo da febre do feno. E se esse for o caso, você não é o único. A cada ano que passa, aumenta o número de pessoas diagnosticadas com febre do feno.

“A febre do feno nada mais é do que uma reação exagerada do organismo a substâncias que ele considera prejudiciais. O sistema imunológico dos alérgicos rechaça todos os agentes que considera estranhos — incluindo o pólen — mesmo que não sejam realmente perigosos”, relatou a revista Mujer de Hoy. E quando o sistema imunológico reage dessa forma desmedida, causa sintomas irritantes, como os descritos no início.

O médico inglês John Bostock foi o primeiro a descrever a febre do feno, em 1819. Especificou todos os sintomas sazonais que o incomodavam. Ele acreditava que eram provocados por feno recém-cortado e por isso o mal foi chamado de febre do feno. Mais tarde constatou-se que, na realidade, vários tipos de pólen desencadeiam essa reação alérgica. No início do século 19, Bostock soube de pouquíssimos casos desse mal em toda a Inglaterra.

Mas por que há tantos que sofrem de febre do feno hoje? O Dr. Javier Subiza, diretor do Centro de Asma e Alergias, de Madri, na Espanha, menciona duas teorias que estão em estudo. A primeira responsabiliza os motores diesel. Acredita-se que as partículas da combustão do diesel podem provocar a ação dos alérgenos, agentes que desencadeiam crises alérgicas. Segundo o alergista Dr. Juan Kothny Pommer, “a febre do feno chega a atingir 20% da população de países industrializados, sendo mais freqüente nas cidades”.

A segunda teoria sugere que a causa seja puro excesso de higiene. ‘Nascemos numa sala de cirurgia, consumimos alimentos esterilizados, recebemos vacinas contra muitas doenças e, quando ficamos doentes, imediatamente tomamos antibióticos. Assim, desde a infância nosso sistema imunológico está condicionado a desenvolver alergias’, explica o Dr. Subiza.

Se você sofre dessa reação imunológica exagerada, não entre em pânico! Diagnosticado o problema e administrado o tratamento certo, é possível controlar e reduzir tanto a freqüência como a intensidade dos sintomas irritantes da febre do feno.