Herodes, o Grande um hábil construtor

ELE governou por cerca de três décadas, há mais de 2 mil anos. A sede de seu reino ficava na Judéia e seu domínio abrangia algumas das regiões vizinhas. Ele é conhecido na História como Herodes, o Grande.

Herodes costuma ser lembrado como um assassino invejoso, que matou membros de sua família e meninos indefesos. Por exemplo, quando astrólogos do Oriente disseram-lhe que um futuro rei havia nascido, Herodes fingiu que queria prestar homenagem à criança. Pediu que eles encontrassem o menino e retornassem. Mas quando Deus avisou os astrólogos para não voltarem, Herodes ordenou a execução de todos os meninos de até 2 anos de idade em Belém — cidade onde os astrólogos haviam encontrado Jesus — e nos distritos vizinhos. — Mateus 2:1-18.

Antes disso, porém, Herodes havia conquistado a simpatia de muitas pessoas por causa de seus notáveis projetos de construção. Ele construiu templos, anfiteatros, hipódromos e aquedutos, além de palácios fortificados com luxuosas casas de banho. Seus projetos eram muito impressionantes — até mesmo para engenheiros modernos que estudam suas ruínas.

Herodes escolhia locais que tornavam suas obras imponentes e integrava a arquitetura à paisagem. Seus palácios eram decorados com afrescos, belos detalhes em gesso e pisos de mosaico. Também introduziu na Judéia as casas de banhos romanas com salas aquecidas e sistema de aquecimento sob o piso. Na verdade, ele chegou a construir cidades inteiras, uma delas com um porto artificial.

Cesaréia  uma cidade portuária

Em Cesaréia, Herodes construiu um dos maiores portos marítimos do mundo romano. Seu tamanho impressiona os arqueólogos. Tinha capacidade de ancorar cem navios — evidência de que ela já foi um centro comercial internacional.

Os cais e quebra-mares foram construídos com as técnicas mais avançadas da época. Mas os eruditos não conseguiam entender como os trabalhadores transportavam aqueles blocos gigantescos de aproximadamente 135 metros cúbicos (15x3x3), conforme descritos por Flávio Josefo, historiador judeu do primeiro século. Há pouco tempo, mergulhadores descobriram que os blocos que Herodes usou eram na realidade de concreto. Para construir os cais e quebra-mares, os trabalhadores despejavam o concreto em moldes de madeira e depois os afundavam e os fixavam.

Essa cidade portuária bem planejada tinha um templo dedicado a César Augusto, um palácio, um hipódromo, um teatro com capacidade para 4 mil pessoas e um sistema de esgoto subterrâneo. Aquedutos e túneis levavam água potável para Cesaréia de fontes localizadas na cadeia de montanhas do Carmelo, a cerca de 6 quilômetros dali.

Jerusalém e o templo de Herodes

O maior projeto de Herodes foi o templo em Jerusalém. A construção original era do Rei Salomão, que seguiu os projetos arquitetônicos que Davi, seu pai, havia recebido de Deus por inspiração. (1 Reis 6:1; 1 Crônicas 28:11, 12) Esse templo foi destruído pelos babilônios uns 420 anos mais tarde, e, cerca de 90 anos após isso, foi substituído por uma versão mais simples, construída por Zorobabel, governador de Judá.

Referente ao templo que Herodes construiu no mesmo local, Josefo escreveu: “Estava todo recoberto de lâminas de ouro, tão espessas, que quando despontava o dia, ficava-se tão arrebatado pela sua beleza como pelos dourados raios do sol. Quanto aos outros lados, onde não havia ouro, as pedras eram tão brancas, que aquela soberba massa parecia, de longe, aos estrangeiros que ainda não as tinham visto, um monte coberto de neve.”

Milhares de homens estiveram envolvidos na construção do muro de arrimo do templo, que no lado oeste tinha cerca de 500 metros de comprimento. As enormes pedras foram assentadas sem argamassa. O peso de uma delas era quase 400 toneladas e, de acordo com um erudito, “não havia outra do mesmo tamanho no mundo antigo”. Não é de admirar que os discípulos de Jesus ficaram impressionados. (Marcos 13:1) Foi construída sobre os muros uma plataforma enorme chamada Monte do Templo — a maior plataforma artificial do mundo antigo, equivalente ao tamanho de mais de 25 campos de futebol.

Herodes fez outras construções em Jerusalém. Uma delas é a fortaleza de Antônia, anexada ao templo. Herodes também construiu um palácio e três torres especiais de vários andares na entrada da cidade.

Samaria e Jericó

Herodes recebeu de presente de César Augusto a antiga cidade de Samaria e mudou o nome dela para Sebaste. Ele embelezou a cidade com vários prédios, incluindo o que provavelmente era um estádio cercado de colunatas. Também construiu grandes edifícios decorados com afrescos.

Herodes construiu um palácio de inverno em Jericó, no vale do Jordão, que fica cerca de 250 metros abaixo do nível do mar e possui um clima subtropical. Jericó estendia-se por uns mil hectares e tinha um aspecto de cidade-jardim. Herodes uniu três palácios construídos por ele mesmo num enorme complexo residencial, tendo cada prédio salas de recepção, salas de banho, jardins e piscinas. Não é de surpreender que ele preferia passar o inverno em Jericó.

Luxuosos palácios fortificados

Mesmo assim, Herodes tinha outra opção para passar o inverno. No topo plano de uma montanha ele fez uma fortaleza conhecida como Massada, que fica 400 metros acima do mar Morto. Ali, ele construiu um sofisticado palácio de três níveis com um terraço e piscinas, e um outro palácio que se destacava pela casa de banho romana com canos de aquecimento embutidos na parede e um sanitário com sistema de descarga.

Naquele deserto hostil, Herodes criou o que se pode chamar de um spa digno de reis. Era equipado de 12 cisternas que comportavam cerca de 40 milhões de litros de água, além de um sistema eficaz de coleta e armazenagem de água da chuva — mais do que suficiente para plantações, piscinas e casas de banho.

Outra façanha arquitetônica de Herodes foi um palácio fortificado chamado Herodium, localizado num monte proeminente cerca de 5 quilômetros ao sudeste de Belém. Consistia de dois setores principais: Herodium Superior e Herodium Inferior. Na parte superior havia um palácio-fortaleza cuja torre oriental de cinco andares — hoje em ruínas — dominava o horizonte. Dois anos atrás, agências de notícias internacionais disseram que os restos do túmulo de Herodes haviam sido descobertos na parte superior do Herodium. Elas alegaram que isso confirmava o relato de Josefo sobre o cortejo fúnebre de Herodes.

O Herodium Inferior, em certa época, teve um complexo de anexos palaciais e gabinetes. O que mais chamava a atenção era um jardim de estilo romano, guarnecido de colunas, ao redor de uma imensa piscina decorada com uma ilha no meio. A piscina tinha quase o dobro do tamanho de uma piscina olímpica moderna. Além de ser usada como reservatório, servia para nadar e até passear de barco. A água vinha de uma fonte a 5 quilômetros de distância, por meio de um aqueduto.

Alguns anos atrás, um turista disse o seguinte sobre a vista que se tem dali: “Ao leste, dava para ver até o mar Morto. Bem ali diante de nós, havia o deserto da Judéia, onde Davi despistou Saul. Ao observarmos o relevo acidentado, entendemos como ele conseguiu fazer isso, principalmente porque desde jovem ele devia conhecer muito bem a região. Também imaginamos que, enquanto pastoreava suas ovelhas, Davi talvez costumasse subir neste mesmo monte para apreciar a bela vista que nós estávamos admirando.”

Muitos livros foram escritos sobre os projetos de Herodes. Há muita especulação quanto à sua motivação para fazer tantas obras. Alguns alegam que foi o desejo de ter fama e prestígio político. Não importa o motivo, essa breve análise confirma o fato de que Herodes, o Grande, além de ter sido um tirano obstinado, foi um hábil construtor.

[Foto na página 25]

CESARÉIA

Representação artística

[Foto na página 25]

PALÁCIO EM JERUSALÉM Modelo

[Foto na página 25]

TEMPLO DE HERODES Modelo

[Foto na página 26]

MASSADA

Ruínas do palácio de três níveis

[Crédito]

Pictorial Archive (Near Eastern History) Est.

[Foto na página 26]

HERODIUM Representação artística

[Créditos das fotos na página 25]

Cesaréia: Hiram Henriquez/National Geographic Stock; Palácio: Cortesia do Israel Museum, Jerusalém, e Todd Bolen/Bible Places.com