Capítulo Um

Mensagens de Jeová para o passado e o presente

AO LONGO das eras, muitos já sonharam em encontrar algum tesouro escondido. Você já leu histórias sobre exploradores, arqueólogos e outros que realmente procuraram tais tesouros? Embora você talvez não participe nesse tipo de busca, que tal se encontrasse mesmo um tesouro? Seria muito recompensador se esse tesouro melhorasse sua vida ou a tornasse mais prazerosa e bem-sucedida.

2 A maioria das pessoas jamais vai à caça de tesouros literais, mas vai à busca de felicidade talvez se esforçando para ganhar dinheiro, ter boa saúde e um bom casamento — tesouros que não se encontram cavando o solo. Também não existe um mapa literal indicando a localização desses tesouros. Como sabe, é preciso esforço para encontrá-los. É por isso que muitos são gratos por bons conselhos sobre como atingir seus objetivos e tornar a vida mais prazerosa e bem-sucedida.

3 Você realmente tem à disposição conselhos úteis, orientações que já ajudaram outros a ser felizes. A Bíblia oferece os melhores conselhos sobre como viver melhor, conforme muitos já constataram. O autor inglês Charles Dickens disse a respeito da Bíblia: “É o melhor livro que já existiu ou existirá no mundo . . . porque ensina as melhores lições pelas quais qualquer criatura humana . . . pode ser guiada.”

4 Essas palavras não causam surpresa para os que consideram a Bíblia como inspirada por Deus. É provável que você concorde com a afirmação que lemos em 2 Timóteo 3:16: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa para ensinar, para repreender, para endireitar as coisas, para disciplinar em justiça.” Em outras palavras, na Bíblia há informações muito úteis que mostram às pessoas como viver melhor em meio às complexidades do mundo moderno. Aqueles que guiam seus passos pela Bíblia podem ter uma vida realmente mais satisfatória e bem-sucedida.

5 Mas em que partes da Bíblia você acha que se encontram tais conselhos? Alguns mencionam o Sermão do Monte, no qual Jesus deu conselhos práticos sobre aspectos da vida diária. Outros se lembram dos escritos do apóstolo Paulo. E todos podem encontrar conselhos úteis nos Salmos e nos Provérbios — livros cheios de sabedoria. Na realidade, dependendo de sua situação ou dos desafios que você enfrenta, qualquer livro bíblico pode ser útil, mesmo os que são essencialmente históricos, como os de Josué até Ester. Seus relatos contêm lições alertadoras para toda pessoa que deseja ser feliz em servir a Deus. (1 Coríntios 10:11) De fato, nesses livros há conselhos que você poderá usar ao dirigir os seus passos, para tornar bem-sucedida a sua vida. Lembre-se da seguinte verdade: “Todas as coisas escritas outrora foram escritas para a nossa instrução, para que, por intermédio da nossa perseverança e por intermédio do consolo das Escrituras, tivéssemos esperança.” — Romanos 15:4; Josué 1:8; 1 Crônicas 28:8, 9.

6 No entanto, existe uma seção na Bíblia onde se podem encontrar tesouros, mas que, para muitos, ainda é um território praticamente inexplorado. Trata-se do grupo de 12 livros muitas vezes chamado de Profetas Menores. Em geral, esses livros se encontram depois dos livros bíblicos maiores de Ezequiel e Daniel, mas antes do Evangelho de Mateus. (Na maioria das Bíblias, os 12 livros estão nesta ordem: Oseias, Joel, Amós, Obadias, Jonas, Miqueias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias.) Como já mencionado, a Bíblia é inspirada por Deus, contém ensinos valiosos e mostra às pessoas como viver melhor. Será que isso se aplica a esses livros?

7 Certamente que sim! De fato, nos chamados Profetas Menores há riquezas realmente úteis que nos mostram como viver melhor hoje em dia. Para entender por que alguns passam por alto esses 12 livros, pense em como eles são chamados em muitas línguas: Profetas Menores. Poderia esse nome influir no modo como as pessoas encaram tais livros? Será que até certo ponto afetou a maneira como você os considera?

SÃO OS “PROFETAS MENORES” MENOS IMPORTANTES?

8 O apóstolo Paulo começou sua carta aos hebreus dizendo: “Deus, que há muito, em muitas ocasiões e de muitos modos, falou aos nossos antepassados por intermédio dos profetas, no fim destes dias nos falou por intermédio dum Filho.” (Hebreus 1:1, 2) Visto que Deus usou profetas humanos para transmitir suas mensagens, não devemos considerar quaisquer desses mensageiros ou seus escritos como menores em importância. No entanto, a expressão “Profetas Menores” leva alguns a crer que o conteúdo desses livros é menos importante. Outros concluem que as mensagens nesses livros têm menos peso do que as de outros livros bíblicos. Na realidade, porém, a expressão “Profetas Menores”,* conforme usada em muitas línguas, refere-se simplesmente ao fato de que esses 12 livros são menores em tamanho.

9 O fato de um livro bíblico ser curto não é indicativo de sua importância ou valor. O livro de Rute é muito mais curto do que os livros que vêm antes e depois dele; no entanto, quantas informações tocantes ele contém! Esse livro curto enfatiza o apego que devemos ter à adoração verdadeira, ilustra o alto valor que Deus dá às mulheres e fornece detalhes essenciais a respeito da linhagem de Jesus. (Rute 4:17-22) Outro exemplo, quase no fim da Bíblia, é o livro de Judas. É tão curto que, em algumas edições da Bíblia, não ocupa nem uma página inteira. Ainda assim, há nele uma riqueza de informações e orientações inestimáveis: os tratos de Deus com anjos maus, alertas sobre homens corruptos que se infiltrariam na congregação e exortações para travar uma luta árdua pela fé. Da mesma forma, pode ter certeza de que os livros dos chamados Profetas Menores, embora sejam curtos, não são inferiores em conteúdo nem em valor para você.

EM QUE SENTIDO SÃO PROFÉTICOS?

10 Outro aspecto a considerar envolve os termos “profeta” e “profético”. Essas palavras relacionam-se com a ideia de prever o futuro. Para muitos, profeta é apenas alguém que prediz o futuro — talvez com palavras misteriosas sujeitas a interpretações. Isso influi na maneira como alguns encaram esses 12 livros.

11 É verdade que a leitura desses 12 livros logo revela que eles contêm muitas predições, grande parte delas sobre a vinda do grande dia de Jeová. Isso se harmoniza com o sentido básico da palavra “profeta”. Profeta era alguém bem achegado a Deus e, em muitos casos, era usado para revelar o futuro. Começando com Enoque, muitos profetas bíblicos de fato previram o futuro. — 1 Samuel 3:1, 11-14; 1 Reis 17:1; Jeremias 23:18; Atos 3:18; Judas 14, 15.

12 É preciso lembrar-se, porém, que o papel dos profetas de Jeová não era só declarar predições divinas. Deus muitas vezes usou profetas como porta-vozes para revelar Sua vontade. Por exemplo, talvez não encaremos Abraão, Isaque e Jacó como pessoas que prediziam o futuro; no entanto, o Salmo 105:9-15 os classifica como profetas. Houve casos em que Deus os usou para revelar algo futuro, como, por exemplo, quando Jacó abençoou seus filhos. Mas esses patriarcas também eram profetas no sentido de que informaram às suas famílias o que Jeová dissera a respeito de cumprirem um papel no propósito divino. (Gênesis 20:7; 49:1-28) Outra indicação do alcance de sentido do termo bíblico “profeta” é o fato de que Arão serviu como profeta para Moisés. Arão desempenhou o papel de profeta servindo como porta-voz, ou “boca”, de Moisés. — Êxodo 4:16; 7:1, 2; Lucas 1:17, 76.

13 Veja também o caso dos profetas Samuel e Natã. (2 Samuel 12:25; Atos 3:24; 13:20) Ambos foram usados por Jeová para declarar eventos futuros, mas ele também os usou como profetas de outras maneiras. Como profeta, Samuel instou os israelitas a largar a idolatria e voltar a praticar a adoração pura. E ele declarou o julgamento de Deus contra o Rei Saul, o que nos ensina que Jeová valoriza mais a obediência do que sacrifícios materiais. De fato, uma das atribuições de Samuel como profeta era expressar os conceitos de Deus sobre a maneira correta de viver. (1 Samuel 7:3, 4; 15:22) O profeta Natã predisse que Salomão construiria o templo e que seu reino seria estabelecido firmemente. (2 Samuel 7:2, 11-16) Mas Natã também agiu como profeta ao apontar o pecado de Davi com Bate-Seba e contra Urias. Quem não se lembra de como Natã expôs o adultério de Davi — usando a ilustração de um homem rico que se apoderou da única e amada ovelha de um homem pobre? Natã ajudou também a organizar a adoração verdadeira no santuário de Deus. — 2 Samuel 12:1-7; 2 Crônicas 29:25.

14 O importante é que não devemos encarar as mensagens contidas nesses livros proféticos como meras predições. Eles contêm expressões divinas a respeito de muitas outras coisas, incluindo excelentes esclarecimentos sobre como o povo de Deus daquele tempo devia viver e como nós hoje devemos viver. De fato, temos a garantia de que o conteúdo da Bíblia, incluindo esses 12 livros, é muito útil e prático, pois ajuda as pessoas a ver qual é o melhor modo de vida. Esses livros inspirados dão orientações valiosas que nos ajudam ‘a viver com bom juízo, justiça e devoção piedosa no meio deste atual sistema’. — Tito 2:12.

COMO SE BENEFICIAR

15 Ler a inspirada Palavra de Deus pode beneficiar-nos de muitas maneiras. Alguns livros bíblicos narram eventos ocorridos num determinado período, outros são poéticos — cada um com seu valor especial. Em ainda outros se destaca o aspecto figurativo, ou simbólico, como no caso dos 12 livros em consideração. Por exemplo, Jesus tinha em mente o livro de Jonas, quando disse: “Uma geração iníqua e adúltera persiste em buscar um sinal, mas nenhum sinal lhe será dado, exceto o sinal de Jonas, o profeta. Porque, assim como Jonas esteve três dias e três noites no ventre do enorme peixe, assim estará também o Filho do homem três dias e três noites no coração da terra. Homens de Nínive se levantarão no julgamento com esta geração e a condenarão; porque eles se arrependeram com o que Jonas pregou, mas, eis que algo maior do que Jonas está aqui.” — Mateus 12:39-41.

16 Obviamente, Jesus via no livro de Jonas mais do que apenas um registro histórico dos tratos de Deus com Jonas, das atividades desse profeta em Nínive e do que aconteceu quando ele proclamou a alertadora mensagem divina. Jesus sabia que o profeta Jonas cumpriu um papel figurativo, apontando para Jesus Cristo, para sua morte e ressurreição no terceiro dia. Além do mais, a reação dos ninivitas foi um contraste — um contraste com a maneira como a maioria dos judeus reagiu à pregação e às obras de Jesus. (Mateus 16:4) Por isso, entendemos que esses 12 livros contêm quadros proféticos, ou similaridades, dos tratos de Deus com seu povo nos tempos modernos. Tais estudos são fascinantes e valiosos.*

17 No entanto, o livro que você tem em mãos não é um estudo do significado figurativo, ou simbólico, do livro de Jonas ou dos outros 11 livros. Tampouco é uma análise versículo por versículo. Em vez disso, o enfoque principal são as informações desses livros que podemos aplicar na vida diária. Pergunte-se: ‘Nesses 12 livros, que orientações úteis ou conselhos divinos Jeová me dá? Como esses livros podem me ajudar “a viver com bom juízo, justiça e devoção piedosa no meio deste atual sistema”? O que eles me dizem a respeito da vida, da moral, da vida familiar e das atitudes cristãs nestes dias críticos, visto que “está chegando o dia de Jeová, pois está perto”?’ (Tito 2:12; Joel 2:1; 2 Timóteo 3:1) À medida que você encontrar respostas satisfatórias, provavelmente descobrirá versículos que prezará muito, versículos que até agora não havia usado ao dar conselhos bíblicos a outros. Desse modo, sua reserva de valiosos textos bíblicos certamente aumentará. — Lucas 24:45.

18 Os capítulos neste livro estão agrupados em quatro seções. Ao iniciar cada seção, procure obter uma visão geral dela. Em cada um dos próximos 13 capítulos há dois quadros para ajudá-lo a fixar na mente os assuntos estudados. As perguntas nesses quadros o ajudarão a recapitular o que leu e a refletir sobre seu valor e praticidade. O primeiro quadro fica mais ou menos no meio do capítulo. Ao chegar nesse quadro, considere as perguntas contidas nele. Isso o ajudará a implantar bem fundo no coração o que tiver acabado de estudar. (Mateus 13:8, 9, 23; 15:10; Lucas 2:19; 8:15) O segundo quadro lhe dará a oportunidade de refletir sobre o que você tiver lido na parte final do capítulo e a guardar isso na sua reserva de conhecimento. Portanto, tire tempo para estudar esses quadros. Eles podem ser ferramentas realmente úteis, que indicam maneiras práticas de você se beneficiar do assunto em consideração.

19 Para “preparar o cenário” para o que virá a seguir, pergunte a si mesmo o que você sabe a respeito do conteúdo de cada um desses 12 livros. Por meio de quem Deus apresentou essas mensagens, e que tipo de homens eram? Em que época viveram, e em que situações serviram como profetas? (A tabela cronológica nas páginas 20 e 21 será muito útil; consulte-a com frequência ao estudar os próximos capítulos.) Qual era a mensagem imediata ou aplicação original dessas mensagens, e como esse conhecimento pode ajudá-lo a relacionar a matéria ao contexto? O próximo capítulo o ajudará a obter as respostas a essas perguntas básicas.

[Nota(s) de rodapé]

Segundo a Encyclopaedia Judaica, essa expressão “parece basear-se na expressão latina usada na Vulgata (Prophetae Minores). O adjetivo ‘menor’ no título ‘Profetas Menores’ não se refere à importância relativa dos 12 profetas em comparação com Isaías, Jeremias e Ezequiel, mas sim ao . . . tamanho bem menor” de seus livros. — Volume 12, página 49.

Veja, por exemplo, o estudo sobre Ageu e Zacarias no livro O Paraíso Restabelecido Para a Humanidade  Pela Teocracia!, publicado pelas Testemunhas de Jeová, mas atualmente esgotado.

BENEFÍCIOS PARA VOCÊ

• Que equívocos a respeito dos “Profetas Menores” devem-se evitar? — Romanos 15:4.

• Por que você pode esperar beneficiar-se de um exame dos 12 livros proféticos? — 2 Timóteo 3:16.

• Que expectativas você pode ter a respeito do estudo desses livros? — 1 Tessalonicenses 2:13.

[Perguntas de Estudo]

1, 2. O que se pode dizer sobre a busca de tesouros escondidos, mas o que pode ajudar você a encontrar prazer na vida?

3, 4. Onde você pode encontrar conselhos práticos sobre como viver melhor?

5-7. Em que partes da Bíblia podem-se encontrar orientações benéficas?

 8. (a) Cite uma das maneiras importantes que Deus usou para dar orientações. (b) Como muitas vezes é chamado o grupo dos 12 livros em consideração, mas o que significa essa expressão?

 9. Por que o tamanho de um livro bíblico não é indicativo de seu valor relativo?

10, 11. (a) Que ideia alguns têm a respeito da palavra “profeta”? (b) Em sentido bíblico, quem eram os profetas, e o que faziam?

12. Como se pode mostrar que ser profeta envolvia mais do que apenas fazer predições?

13, 14. (a) Dê exemplos de como os profetas fizeram mais do que apenas predições. (b) Como você pode se beneficiar de saber que os profetas fizeram mais do que apenas predições?

15, 16. (a) Que aspectos figurativos podem ser encontrados nos “Profetas Menores”? (b) Que quadros proféticos contêm esses livros?

17. Que enfoque esta obra dá aos 12 livros em consideração?

18. Que método este livro adota, e como você pode beneficiar-se disso?

19. Quais são as primeiras coisas que você deve ter em mente a respeito dos 12 livros em questão?