Copeiro

Oficial da corte real que servia vinho e outras bebidas ao rei. (Gên 40:1, 2, 11; Ne 1:11; 2:1) Os deveres do copeiro-mor incluíam às vezes provar o vinho antes de dá-lo ao rei. Isto se dava porque sempre havia a possibilidade de um atentado contra a vida do rei por envenenar-lhe o vinho.

A principal qualificação para este cargo era ser inteiramente digno de confiança, visto que a vida do rei estava em jogo. O cargo era um dos mais honrosos na corte. O copeiro-mor freqüentemente estava presente em conferências e palestras reais. Por ter uma relação íntima e usualmente de confiança com o rei, ele muitas vezes exercia considerável influência junto ao monarca. Foi o copeiro de Faraó quem recomendou José. (Gên 41:9-13) O Rei Artaxerxes da Pérsia, tinha em alta estima o seu copeiro, Neemias. (Ne 2:6-8) Quando Neemias viajou a Jerusalém, Artaxerxes proveu-lhe uma escolta militar. — Ne 2:9.

Figurarem muitas vezes copeiros em antigas ilustrações indica a importância do seu cargo. A rainha de Sabá ficou muito impressionada com o “serviço de bebida e o vestuário deles” na corte de Salomão. — 2Cr 9:4.