Tormento

A palavra grega ba·sa·ní·zo (e formas aparentadas) ocorre mais de 20 vezes nas Escrituras Gregas Cristãs. Significava basicamente “testar pela pedra de toque [bá·sa·nos]” e, por extensão, “examinar ou interrogar pela aplicação de tortura”. Os lexicógrafos indicam que esse termo é usado, nas Escrituras Gregas Cristãs, no sentido de ‘atormentar com penosas dores; ser fustigado, afligido’. — Mt 8:29; Lu 8:28; Re 12:2.

A Bíblia usou ba·sa·ní·zo em vários casos. Por exemplo, um servo afligido de paralisia estava “terrivelmente atormentado” (NM) ou “entre sofrimentos atrozes” (PIB) por causa da paralisia. (Mt 8:6; compare isso com Mt 4:24.) Também, Ló “sentia-se atormentado em sua alma” (BV) ou “estava aflito” (Mo, RS) por causa das ações licenciosas do povo de Sodoma. (2Pe 2:8) Esta palavra é usada até mesmo com respeito ao avanço difícil de um barco. — Mt 14:24; Mr 6:48.

O substantivo grego ba·sa·ni·stés, que ocorre em Mateus 18:34, é traduzido por “carcereiros” em algumas versões (AT, Fn, NM; compare com Mt 18:30) e por “atormentadores” ou “torturadores” (Al, BV, MH) em outras. A tortura era às vezes usada nas prisões a fim de se obter informações (compare com At 22:24, 29, que mostra que isto era feito, embora ba·sa·ní·zo não seja usada neste caso), de forma que ba·sa·ni·stés veio a aplicar-se a carcereiros. A respeito deste uso, em Mateus 18:34, The International Standard Bible Encyclopaedia (A Enciclopédia Bíblica Padrão Internacional) observou: “É provável que a própria detenção fosse considerada um ‘tormento’ (como sem dúvida o era), e os ‘atormentadores’ não precisam significar nada mais do que carcereiros.” (Editada por J. Orr, 1960, Vol. V, p. 2999.) Assim, a menção, em Revelação (Apocalipse) 20:10, daqueles que serão “atormentados dia e noite, para todo o sempre”, evidentemente indica que eles ficarão numa condição de restrição. Os relatos paralelos em Mateus 8:29 e Lucas 8:31 indicam que se pode falar duma condição de restrição como se fosse “tormento”. — Veja LAGO DE FOGO.

Alguns comentaristas chamam a atenção para casos em que a Bíblia usa a palavra “tormento”, a fim de apoiar o ensino do sofrimento eterno no fogo. No entanto, como acabamos de mostrar, há motivos bíblicos para se crer que Revelação 20:10 não tem este sentido. De fato, o versículo 14 de Re 20 mostra que o “lago de fogo”, em que ocorre esse tormento, na verdade significa “a segunda morte”. E embora Jesus tenha falado sobre certo homem rico que ‘estava em tormentos’ (Lu 16:23, 28), como mostra o artigo LÁZARO (N.° 2), Jesus não descrevia a experiência literal de uma pessoa real, mas contava uma ilustração. Em Revelação há vários outros casos em que o sentido de “tormento” é claramente ilustrativo ou simbólico, como evidencia o contexto. — Re 9:5; 11:10; 18:7, 10.