Não desista apesar do cansaço

“Jeová, o Criador das extremidades da terra, . . . dá poder ao cansado; e faz abundar a plena força para aquele que está sem energia dinâmica.” — ISAÍAS 40:28, 29.

COMO discípulos de Jesus, conhecemos bem o seu convite cordial: “Vinde a mim, todos os que estais labutando e que estais sobrecarregados, e eu vos reanimarei. . . . Pois o meu jugo é benévolo e minha carga é leve.” (Mateus 11:28-30) Jeová também oferece aos cristãos “épocas de refrigério”, a fim de reanimá-los. (Atos 3:19) Com certeza você mesmo já sentiu como é reanimador aprender as verdades bíblicas, ter uma esperança maravilhosa para o futuro e aplicar na vida os princípios de Jeová.

2 Mesmo assim, alguns adoradores de Jeová passam por períodos de desgaste emocional. Em alguns casos, essas fases de desânimo são curtas. Em outros, a sensação de fadiga talvez dure longos períodos. Com o passar do tempo, alguns talvez achem que as suas responsabilidades cristãs acabaram se tornando um fardo, em vez de uma carga reanimadora, conforme Jesus prometeu. Tais sentimentos negativos podem constituir um sério perigo para o relacionamento de um cristão com Jeová.

3 Pouco antes de ser detido e executado, Jesus disse a seus discípulos: “Não se aflijam os vossos corações. Exercei fé em Deus, exercei fé também em mim.” (João 14:1) Jesus disse essas palavras quando os apóstolos estavam prestes a enfrentar situações trágicas. Logo irromperia uma onda de perseguição. Jesus sabia que seus discípulos poderiam ficar totalmente desanimados e tropeçar. (João 16:1) Se não fosse controlada, a tristeza poderia enfraquecê-los espiritualmente e fazê-los perder a confiança em Jeová. O mesmo se aplica aos cristãos hoje em dia. Se nos sentirmos desanimados por um longo período, isso pode causar muita angústia, e nosso coração pode ficar sobrecarregado. (Jeremias 8:18) A pessoa que somos no íntimo pode enfraquecer. Sob tal pressão, podemos ficar emocional e espiritualmente paralisados e até perder o desejo de adorar a Jeová.

4 O seguinte conselho bíblico é realmente oportuno: “Mais do que qualquer outra coisa a ser guardada, resguarda teu coração, pois dele procedem as fontes da vida.” (Provérbios 4:23) A Bíblia dá conselhos práticos que nos ajudam a proteger o coração figurativo do desânimo e do cansaço espiritual. Mas primeiro precisamos identificar claramente a razão do nosso cansaço.

O modo de vida cristão não é opressivo

5 É verdade que ser cristão exige da pessoa esforço vigoroso. (Lucas 13:24) Jesus até mesmo declarou: “Quem não levar a sua estaca de tortura e não vier após mim, não pode ser meu discípulo.” (Lucas 14:27) À primeira vista, essas palavras parecem contradizer o que Jesus disse sobre a sua carga ser leve e reanimadora, mas, na verdade, não há contradição.

6 O esforço intenso e o trabalho árduo, embora sejam fisicamente cansativos, podem ser gratificantes e reanimadores quando realizados por uma boa causa. (Eclesiastes 3:13, 22) E poderia haver causa melhor do que transmitir verdades bíblicas maravilhosas a outros? Além disso, nosso empenho para viver à altura das elevadas normas morais de Deus não é nada em comparação com os benefícios resultantes. (Provérbios 2:10-20) Mesmo quando perseguidos, consideramos uma honra sofrer pela causa do Reino de Deus. — 1 Pedro 4:14.

7 A carga de Jesus é mesmo reanimadora, e nós percebemos isso especialmente quando a comparamos com a escuridão espiritual dos que permanecem sob o jugo da religião falsa. Deus é terno e amoroso conosco, não exige de nós mais do que é razoável. Os “mandamentos [de Jeová] não são pesados”. (1 João 5:3) O verdadeiro modo de vida cristão, conforme delineado nas Escrituras, não é opressivo. É evidente que a nossa forma de adoração não é cansativa nem desanimadora.

‘Ponha de lado todo peso’

8 Se de vez em quando nos sentimos espiritualmente cansados, isso geralmente se deve ao peso adicional que este sistema corrupto impõe sobre nós. Visto que “o mundo inteiro jaz no poder do iníquo”, estamos rodeados por influências negativas que podem desgastar-nos e afetar nosso equilíbrio como cristãos. (1 João 5:19) Atividades desnecessárias podem complicar e atrapalhar a nossa rotina cristã. Esses fardos adicionais podem nos sobrecarregar e até mesmo esmagar-nos o espírito. Por isso é apropriado o conselho bíblico de ‘pôr de lado todo peso’. — Hebreus 12:1-3.

9 Por exemplo, a preocupação do mundo com ter destaque, ganhar dinheiro, divertir-se, viajar e com outros empenhos materialistas pode influenciar o nosso modo de pensar. (1 João 2:15-17) Alguns cristãos do primeiro século que foram atrás de riquezas complicaram seriamente a vida. O apóstolo Paulo explica: “Os que estão resolvidos a ficar ricos caem em tentação e em laço, e em muitos desejos insensatos e nocivos, que lançam os homens na destruição e na ruína. Porque o amor ao dinheiro é raiz de toda sorte de coisas prejudiciais, e alguns, por procurarem alcançar este amor, foram desviados da fé e se traspassaram todo com muitas dores.” — 1 Timóteo 6:9, 10.

10 Quando nos sentimos cansados e desanimados no nosso serviço a Deus, será que é porque o empenho por coisas materiais está sufocando nossa espiritualidade? Essa possibilidade é bem real, conforme indicado pela ilustração de Jesus sobre o semeador. Jesus comparou “as ansiedades deste sistema de coisas e o poder enganoso das riquezas, e os desejos do resto das coisas” a espinhos que ‘intervêm’, ou invadem a área, e “sufocam” a semente da palavra de Deus no nosso coração. (Marcos 4:18, 19) Portanto, a Bíblia nos aconselha: “Vossa maneira de viver esteja livre do amor ao dinheiro, ao passo que estais contentes com as coisas atuais. Pois ele disse: ‘De modo algum te deixarei e de modo algum te abandonarei.’” — Hebreus 13:5.

11 Às vezes o que complica a nossa vida não é o empenho para obter mais coisas, mas o que fazemos com aquilo que já possuímos. Alguns talvez se sintam emocionalmente esgotados devido a graves problemas de saúde, à morte de pessoas amadas ou outras situações angustiantes. Eles vêem a necessidade de fazer ajustes de tempos em tempos. Certo casal decidiu parar com alguns de seus hobbies e projetos pessoais desnecessários. Eles examinaram as coisas que possuíam, e empacotaram e guardaram fora da vista todo material relacionado a tais projetos. Todos nós podemos nos beneficiar de fazer uma reavaliação periódica dos nossos hábitos e bens, descartando todo peso desnecessário, para que não nos cansemos nem desanimemos.

Razoabilidade e modéstia são essenciais

12 Nossos próprios erros, mesmo em questões pequenas, podem aos poucos complicar a nossa vida. As palavras de Davi são realmente verazes: “Os meus próprios erros passaram acima da minha cabeça; iguais a uma carga pesada, são pesados demais para mim.” (Salmo 38:4) Muitas vezes, alguns ajustes práticos nos aliviarão de fardos pesados.

13 A Bíblia nos incentiva a desenvolver “a sabedoria prática e o raciocínio”. (Provérbios 3:21, 22) “A sabedoria de cima é . . . razoável”, diz a Bíblia. (Tiago 3:17) Alguns se sentem pressionados a fazer tanto quanto outros no ministério cristão. Mas a Bíblia nos aconselha: “Prove cada um quais são as suas próprias obras, e então terá causa para exultação, apenas com respeito a si próprio e não em comparação com outra pessoa. Pois cada um levará a sua própria carga.” (Gálatas 6:4, 5) É verdade que o bom exemplo dos companheiros cristãos pode nos encorajar a servir a Jeová de todo o coração, mas a sabedoria prática e a razoabilidade nos ajudarão a estabelecer alvos realistas de acordo com as nossas circunstâncias.

14 Ter razoabilidade até mesmo em questões que talvez pareçam de pouca importância pode nos ajudar a evitar o cansaço. Por exemplo, será que cultivamos hábitos equilibrados que promovem a boa saúde física? Considere o exemplo de um casal que serve em um dos escritórios administrativos das Testemunhas de Jeová. Eles aprenderam a reconhecer o valor da sabedoria prática para evitar a fadiga. A esposa diz: “Não importa quanto trabalho tenhamos, tentamos ir dormir por volta da mesma hora toda noite. Nós também nos exercitamos regularmente. Isso tem realmente nos ajudado. Aprendemos quais são os nossos limites e os respeitamos. Evitamos fazer comparações entre nós e os que parecem ter uma energia inesgotável.” Será que o nosso hábito é ter refeições saudáveis e dormir o suficiente? Dar razoável atenção à nossa saúde como um todo pode minimizar a sensação de fadiga emocional e espiritual.

15 Alguns de nós têm necessidades especiais. Certa cristã, por exemplo, já recebeu diversas designações desafiadoras no seu ministério de tempo integral. Ela tem enfrentado graves problemas de saúde, inclusive câncer. O que a tem ajudado a lidar com situações estressantes? Ela diz: “Para mim, é importante ter tempo para ficar sozinha num lugar totalmente quieto. Quanto mais eu sinto o estresse e o cansaço aumentarem, mais urgentemente preciso de momentos tranqüilos em que possa ficar sozinha, ler e descansar.” A sabedoria prática e o raciocínio nos ajudam a identificar e a satisfazer as nossas necessidades individuais e assim evitar o cansaço espiritual.

Jeová Deus nos energia

16 É claro que cuidar da nossa saúde espiritual é muitíssimo importante. Quando temos um relacionamento bem achegado com Jeová Deus, talvez fiquemos fisicamente cansados, mas jamais nos cansaremos de adorá-lo. Jeová é quem “dá poder ao cansado; e faz abundar a plena força para aquele que está sem energia dinâmica”. (Isaías 40:28, 29) O apóstolo Paulo, que sentiu pessoalmente a veracidade dessas palavras, escreveu: “Não desistimos; porém, ainda que o homem que somos por fora se definhe, certamente o homem que somos por dentro está sendo renovado de dia em dia.” — 2 Coríntios 4:16.

17 Note a expressão “de dia em dia”. Ela indica que devemos nos beneficiar diariamente das provisões de Jeová. Certa irmã que serviu fielmente como missionária por 43 anos teve de enfrentar períodos de cansaço físico e desânimo, mas não desistiu. Ela diz: “Criei o hábito de levantar cedo e, assim, antes de começar qualquer serviço, tenho tempo para orar a Jeová e ler a sua Palavra. Essa rotina diária tem me ajudado a perseverar até agora.” Nós poderemos realmente confiar no poder sustentador de Jeová se regularmente, “de dia em dia”, orarmos a ele e meditarmos nas suas sublimes qualidades e nas suas promessas.

18 Isso é especialmente útil aos que se sentem desanimados devido à idade avançada e a problemas de saúde. Eles talvez fiquem abatidos, não por se comparar com outros, mas por fazer comparações com o que eles mesmos eram no passado. Mas é realmente consolador saber que Jeová honra os idosos. A Bíblia diz: “As cãs são uma coroa de beleza quando se acham no caminho da justiça.” (Provérbios 16:31) Jeová conhece as nossas limitações e valoriza muito a adoração que prestamos de toda a alma apesar de nossas fragilidades. E as boas obras que já fizemos estão registradas para sempre na memória de Deus. As Escrituras nos asseguram: “Deus não é injusto, para se esquecer de vossa obra e do amor que mostrastes ao seu nome, por terdes ministrado aos santos e por continuardes a ministrar.” (Hebreus 6:10) É uma grande alegria para todos nós ter em nosso meio irmãos e irmãs que se provaram leais a Jeová por tantas décadas!

Não desista

19 Muitas pessoas acreditam que atividade física intensa em base regular pode aliviar o cansaço. De modo similar, atividades espirituais regulares podem ajudar a reduzir qualquer sensação de fadiga emocional ou espiritual. A Bíblia diz: “Não desistamos de fazer aquilo que é excelente, pois ceifaremos na época devida, se não desfalecermos. Realmente, então, enquanto tivermos tempo favorável para isso, façamos o que é bom para com todos, mas especialmente para com os aparentados conosco na fé.” (Gálatas 6:9, 10) Note as expressões “fazer aquilo que é excelente” e “façamos o que é bom”. Elas indicam ação da nossa parte. Fazer coisas boas pelos outros pode realmente nos ajudar a não desistir do nosso serviço a Jeová.

20 Em contraste com isso, a associação com pessoas que desrespeitam as leis de Deus e as atividades realizadas na companhia delas podem se tornar um fardo pesado. A Bíblia nos adverte: “O peso de uma pedra e uma carga de areia — mas o vexame por parte de um tolo é mais pesado do que ambos.” (Provérbios 27:3) Para combater o desânimo e o cansaço, é bom evitar a companhia de pessoas que são sempre negativas e propensas a achar defeitos nos outros e a criticá-los.

21 As reuniões cristãs são uma provisão de Jeová que podem nos dar energia em sentido espiritual. Elas nos dão uma excelente oportunidade de nos encorajarmos uns aos outros com instrução e associação reanimadoras. (Hebreus 10:25) Todos na congregação devem se esforçar para ser edificantes ao comentar nas reuniões ou ao participar do programa na tribuna. Os que tomam a dianteira como instrutores são especialmente responsáveis por encorajar outros. (Isaías 32:1, 2) Mesmo quando há necessidade de uma advertência ou uma repreensão, o tom do conselho deve ser positivo e reanimador. (Gálatas 6:1, 2) O nosso amor pelos outros vai realmente nos ajudar a servir a Jeová sem desistir. — Salmo 133:1; João 13:35.

22 Adorar a Jeová neste tempo do fim envolve trabalho. E os cristãos não estão imunes aos efeitos da fadiga mental, da dor emocional e de situações estressantes. Nossa natureza humana imperfeita é frágil, como uma peça de cerâmica. Mas a Bíblia diz: “Temos este tesouro em vasos de barro, para que o poder além do normal seja o de Deus e não o de nós mesmos.” (2 Coríntios 4:7) É verdade que vamos ficar cansados, mas nunca devemos desistir. Em vez disso, “tenhamos boa coragem e digamos: ‘Jeová é o meu ajudador.’” — Hebreus 13:6.

Uma breve recapitulação

• Quais são alguns dos pesos desnecessários que talvez possamos pôr de lado?

• Como podemos fazer “o que é bom” para os nossos companheiros cristãos?

• Como Jeová nos ajuda quando estamos cansados ou desanimados?

[Perguntas de Estudo]

1, 2. (a) Que convite cordial é feito a todos os que querem praticar a adoração pura? (b) O que pode constituir um sério perigo para a nossa espiritualidade?

 3. Por que Jesus deu o conselho que se encontra em João 14:1?

 4. O que pode nos ajudar a proteger nosso coração figurativo, para não desistirmos de adorar a Jeová?

 5. Que aparente contradição existe no que se refere ao discipulado cristão?

6, 7. Por que se pode dizer que nossa forma de adoração não é cansativa?

 8. O que costuma causar cansaço espiritual?

 9. Como os empenhos materialistas podem nos sobrecarregar?

10. O que podemos aprender a respeito das riquezas com a ilustração de Jesus sobre o semeador?

11. Como podemos nos livrar de coisas que podem nos sobrecarregar?

12. O que devemos reconhecer a respeito dos nossos erros?

13. Como a razoabilidade pode nos ajudar a ter um ponto de vista equilibrado a respeito do nosso ministério?

14, 15. Como podemos demonstrar sabedoria prática ao cuidar das nossas necessidades físicas e emocionais?

16, 17. (a) Por que cuidar da nossa saúde espiritual é muitíssimo importante? (b) O que devemos incluir na nossa rotina diária?

18. Que consolo a Bíblia dá aos cristãos fiéis que são idosos ou estão doentes?

19. Como somos beneficiados por nos mantermos ocupados fazendo o que é bom?

20. Para combater o desânimo, a companhia de quem devemos evitar?

21. Como podemos ser de encorajamento para os outros nas reuniões cristãs?

22. Apesar da nossa natureza humana imperfeita, por que podemos ter boa coragem?

[Foto na página 23]

Jesus sabia que um período longo de desânimo poderia ser perigoso para os apóstolos

[Foto na página 24]

Alguns abandonaram certos “hobbies” e projetos pessoais desnecessários

[Foto na página 26]

Apesar das nossas limitações, Jeová valoriza muito a adoração que prestamos de toda a alma