A Palavra de Jeová É Viva

Destaques dos livros de Ageu e de Zacarias

ERA o ano 520 AEC. Dezesseis anos haviam-se passado desde que os judeus que retornaram do exílio em Babilônia tinham lançado o alicerce do templo de Jeová em Jerusalém. Mas o templo ainda não estava terminado, e o trabalho de construção estava proscrito. Jeová designou o profeta Ageu e dois meses depois o profeta Zacarias para falarem Sua palavra.

Ageu e Zacarias tinham o mesmo objetivo: motivar o povo a reiniciar o trabalho de reconstrução do templo. Os esforços desses profetas foram bem-sucedidos, e cinco anos depois o templo ficou pronto. O que Ageu e Zacarias proclamaram foi registrado nos livros bíblicos que levam o nome deles. Os livros de Ageu e de Zacarias foram concluídos em 520 AEC e 518 AEC respectivamente. Como no caso daqueles profetas, Deus também nos deu uma obra que deve ser concluída antes do fim deste sistema. É a obra de pregar o Reino e fazer discípulos. Vejamos que encorajamento podemos obter dos livros de Ageu e de Zacarias.

“FIXAI VOSSO CORAÇÃO NOS VOSSOS CAMINHOS”

Num período de 112 dias, Ageu proferiu quatro mensagens motivadoras. A primeira foi: “‘Fixai vosso coração nos vossos caminhos. Subi ao monte, e tereis de trazer madeira. E construí a casa, para que eu tenha prazer nela e eu seja glorificado’, disse Jeová.” (Ageu 1:7, 8) O povo reagiu bem. A segunda mensagem continha a promessa: “Eu [Jeová] vou encher esta casa de glória.” — Ageu 2:7.

De acordo com a terceira mensagem, a negligência deles no trabalho de reconstrução do templo fez com que ‘o povo e todo o trabalho das suas mãos’ se tornassem impuros perante Jeová. Mas, a partir do dia em que a obra de reconstrução começasse, Jeová lhes ‘concederia bênção’. Como declarado na quarta mensagem, Jeová ia “aniquilar a força dos reinos das nações” e estabelecer o governador Zorobabel como “anel de chancela”. — Ageu 2:14, 19, 22, 23.

Perguntas bíblicas respondidas:

1:6  O que significa a expressão “bebe-se, mas não a ponto de se ficar embriagado”? Essa expressão simplesmente indica que havia pouco vinho. Por não ter a bênção de Jeová, o suprimento de vinho era limitado — sem dúvida não havia o suficiente para causar embriaguez.

2:6, 7, 21, 22  Quem ou o que está causando o tremor, e com que resultados? Jeová está fazendo “tremer todas as nações” por meio da obra mundial de pregação da mensagem do Reino. Essa obra resulta também em trazer “as coisas desejáveis de todas as nações” para a casa de Jeová, dessa forma enchendo-a de glória. Com o tempo, “Jeová dos exércitos” fará tremer “os céus, e a terra, e o mar, e o solo seco”, resultando em que o inteiro sistema perverso de hoje seja abalado e deixe de existir. — Hebreus 12:26, 27.

2:9  De que maneiras ‘a glória da última casa se tornaria maior do que a da anterior’? Isso aconteceria pelo menos de três maneiras: o número de anos em que o templo existiria, quem ensinaria nele e quem afluiria para lá a fim de adorar a Jeová. Embora o templo glorioso de Salomão tenha existido por 420 anos, de 1027 AEC a 607 AEC, a “última casa” esteve em uso por mais de 580 anos, desde que foi concluída em 515 AEC até ser destruída em 70 EC. Além disso, o Messias — Jesus Cristo — ensinou na “última casa” e mais pessoas foram a ela para adorar a Deus do que foram à casa “anterior”. — Atos 2:1-11.

Lições para nós:

1:2-4. A oposição à obra de pregação não deve fazer com que deixemos de “buscar primeiro o reino” para buscar primeiro nossos próprios interesses. — Mateus 6:33.

1:5, 7. É bom ‘fixarmos nosso coração nos nossos caminhos’ e refletirmos em como o que fazemos com nossa vida afeta nosso relacionamento com Deus.

1:6, 9-11; 2:14-17. Os judeus dos dias de Ageu se empenhavam pelos seus próprios interesses, mas não colhiam os frutos de seu trabalho. Negligenciavam o templo e por isso não tinham a bênção de Deus. Devemos dar prioridade às coisas espirituais e prestar serviço a Deus de toda a alma, lembrando-nos de que, quer tenhamos pouco, quer muito em sentido material, ‘a bênção de Jeová é o que enriquece’. — Provérbios 10:22.

2:15, 18. Jeová incentivou os judeus a fixar seu coração daquele dia em diante, não na sua negligência do passado, mas na obra de reconstrução. Da mesma forma, devemos nos esforçar em olhar para frente ao adorarmos nosso Deus.

‘NÃO POR PODER, MAS POR MEU ESPÍRITO’

Zacarias começou sua atividade profética fazendo um convite aos judeus para ‘retornarem a Jeová’. (Zacarias 1:3) As oito visões que se seguiram garantiram o apoio divino à obra de reconstrução do templo. (Veja o quadro “As oito visões simbólicas de Zacarias”.) A obra de reconstrução seria terminada ‘não por força militar, nem por poder, mas pelo espírito de Jeová’. (Zacarias 4:6) O homem chamado Renovo ‘certamente construiria o templo de Jeová’ e ‘teria de tornar-se sacerdote sobre o seu trono’. — Zacarias 6:12, 13.

Betel enviou uma delegação para perguntar aos sacerdotes sobre a observância de jejuns para recordar a destruição de Jerusalém. Jeová disse a Zacarias que o lamento durante os quatro jejuns em lembrança da calamidade que sobreveio a Jerusalém se transformaria em “exultação, e alegria, e boas épocas festivas”. (Zacarias 7:2; 8:19) As duas declarações que se seguiram incluíam julgamentos contra nações e contra falsos profetas, profecias messiânicas e uma mensagem da restauração do povo de Deus. — Zacarias 9:1; 12:1.

Perguntas bíblicas respondidas:

2:1  Por que um homem estava medindo Jerusalém com uma corda? Pelo visto, essa ação indicava a construção de uma muralha de proteção em volta da cidade. O anjo informou o homem que Jerusalém ia se expandir e ter a proteção de Jeová. — Zacarias 2:3-5.

6:11-13  Será que a coroação do sumo sacerdote Josué fez dele rei-sacerdote? Não, Josué não era da linhagem real de Davi. Mas sua coroação serviu para prefigurar o Messias. (Hebreus 6:20) A profecia sobre o “Renovo” se cumpre no Rei-Sacerdote celestial, Jesus Cristo. (Jeremias 23:5) No templo reconstruído, Josué serviu como sacerdote para os judeus que retornaram do exílio. Da mesma maneira, Jesus é o Sumo Sacerdote para a verdadeira adoração no templo espiritual de Jeová.

8:1-23  Quando se cumprem as dez declarações mencionadas nesses versículos? Cada declaração vem depois da expressão “assim disse Jeová dos exércitos” e se refere à promessa de Deus de dar paz ao seu povo. Algumas dessas declarações se cumpriram no sexto século AEC, mas todas elas ou já se cumpriram desde 1919 EC, ou estão se cumprindo atualmente.*

8:3  Por que Jerusalém foi chamada de “cidade da veracidade”? Antes de ser destruída em 607 AEC, Jerusalém era “a cidade opressiva”, habitada por profetas e sacerdotes corruptos e por pessoas infiéis. (Sofonias 3:1; Jeremias 6:13; 7:29-34) Mas, com a reconstrução do templo e o compromisso do povo de adorar a Jeová, as verdades da adoração pura seriam faladas ali, e Jerusalém seria chamada de “cidade da veracidade”.

11:7-14  Qual o significado de Zacarias cortar um bordão, ou vara, chamado “Afabilidade” e outro chamado “União”? Zacarias é retratado como alguém enviado para ‘pastorear o rebanho destinado à matança’ — pessoas semelhantes a ovelhas exploradas por seus líderes. No seu papel como pastor Zacarias prefigurou Jesus Cristo, que foi enviado ao povo pactuado de Deus, mas foi rejeitado por eles. Cortar o bordão da “Afabilidade” simbolizava que Deus poria fim ao pacto da Lei, feito com os judeus, e não lidaria mais com eles de modo afável, ou amigável. Cortar o bordão da “União” significava romper o vínculo teocrático da fraternidade entre Judá e Israel.

12:11  O que é “o lamento de Hadadrimom no vale plano de Megido”? O Rei Josias, de Judá, foi morto numa batalha contra o Faraó Neco, do Egito, no “vale plano de Megido”, e sua morte foi lamentada ‘em endechas’ ao longo dos anos. (2 Crônicas 35:25) Portanto, “o lamento de Hadadrimom” pode se referir ao lamento pela morte de Josias.

Lições para nós:

1:2-6; 7:11-14. Jeová se agrada daqueles que, arrependidos, aceitam sua repreensão e retornam a ele por lhe prestar adoração de toda a alma. Em resultado disso, Jeová retorna a eles. Por outro lado, ele não atende o pedido de ajuda dos que ‘persistem em negar-se a prestar atenção e continuam a oferecer um ombro obstinado, e fazem seus ouvidos irresponsivos [ou insensíveis]’ à sua mensagem.

4:6, 7. Nenhum obstáculo se mostrou grande demais para o espírito de Jeová transpor a fim de terminar com sucesso a obra de reconstrução do templo. Podemos vencer qualquer problema relacionado ao nosso serviço a Deus por exercermos fé em Jeová. — Mateus 17:20.

4:10. Tendo sido observados bem de perto por Jeová, Zorobabel e seu povo terminaram o templo de acordo com as normas elevadas de Deus. Isso mostra que não é difícil demais para humanos imperfeitos viver à altura do que Jeová espera.

7:8-10; 8:16, 17. Para obtermos o favor de Jeová precisamos exercer a justiça, praticar a benevolência, mostrar misericórdia e falar a verdade uns com os outros.

8:9-13. Jeová nos abençoa quando ‘nossas mãos são fortes’ em fazer a obra que ele nos designou. Essas bênçãos incluem paz, segurança e progresso espiritual.

12:6. Os servos de Jeová que ocupam posições de responsabilidade devem ser “como uma tocha acesa”, ou seja, seu zelo deve ser notável.

13:3. Nossa lealdade ao verdadeiro Deus e à sua organização deve ser maior do que nossa lealdade a qualquer humano, por mais achegado que este nos seja.

13:8, 9. Os apóstatas rejeitados por Jeová foram muitos: duas partes, ou dois terços, da terra de Israel. Somente um terço passou por um refinamento como que por fogo. Em nossos dias, a cristandade, composta pela maioria dos que afirmam ser cristãos, foi rejeitada por Jeová. Apenas poucos em número, os cristãos ungidos, ‘invocaram o nome de Jeová’ e se submeteram ao processo de refinamento. Eles e seus irmãos na fé provam que não são Testemunhas de Jeová apenas de nome.

Motivados a agir com zelo

Como nos afeta hoje o que Ageu e Zacarias proclamaram? Quando refletimos em como a mensagem deles incentivou os judeus a dar atenção à obra de reconstrução do templo, não nos sentimos motivados a ter uma participação zelosa na obra de pregar o Reino e fazer discípulos?

Zacarias profetizou que o Messias viria “montado num jumento”, seria traído por “trinta moedas de prata”, seria golpeado e ‘as ovelhas do rebanho seriam espalhadas’. (Zacarias 9:9; 11:12; 13:7) A meditação no cumprimento dessas profecias messiânicas proferidas por Zacarias tem um grande impacto em nossa fé. (Mateus 21:1-9; 26:31, 56; 27:3-10) Isso fortalece nossa confiança na Palavra de Jeová e nas suas provisões para a nossa salvação. — Hebreus 4:12.

[Nota(s) de rodapé]

Veja A Sentinela de 1.° de janeiro de 1996, páginas 9-22.

[Quadro na página 11]

AS OITO VISÕES SIMBÓLICAS DE ZACARIAS

1:8-17: Garantiu que se completaria a construção do templo e mostrou que Jerusalém e outras cidades em Judá seriam abençoadas.

1:18-21: Prometeu o fim dos ‘quatro chifres que dispersaram Judá’, ou seja, todos os governos que se opuseram à adoração de Jeová.

2:1-13: Indica que Jerusalém se expandiria e que Jeová se tornaria para ela “uma muralha de fogo ao redor” — uma proteção.

3:1-10: Mostrou que Satanás estava envolvido na oposição à obra do templo e que o sumo sacerdote Josué foi libertado e purificado.

4:1-14: Deu garantia de que obstáculos semelhantes a montes seriam nivelados e que o governador Zorobabel completaria a construção do templo.

5:1-4: Proferiu uma maldição contra os malfeitores que não haviam sido punidos.

5:5-11: Predisse o fim da maldade.

6:1-8: Prometeu supervisão e proteção angélicas.

[Foto na página 8]

Qual era o objetivo das mensagens de Ageu e de Zacarias?

[Foto na página 10]

Em que sentido os que ocupam posições de responsabilidade são “como uma tocha acesa”?