• A Sentinela (2008)
  • Como vencer os desafios do ministério de casa em casa

Como vencer os desafios do ministério de casa em casa

“Ficamos denodados, por meio de nosso Deus, para falar-vos as boas novas de Deus com bastante luta.” — 1 TES. 2:2.

JEREMIAS foi uma pessoa com sentimentos iguais aos nossos. Quando Jeová o designou “profeta para as nações”, ele exclamou: “Ai! Soberano Senhor Jeová! Eis que realmente nem sei falar, pois sou apenas rapaz.” Apesar disso, confiando em Jeová, ele aceitou a designação. (Jer. 1:4-10) Por mais de 40 anos, Jeremias lidou com apatia, rejeição, zombaria e até violência física. (Jer. 20:1, 2) Às vezes, ele teve vontade de desistir. Ainda assim, perseverou em declarar uma mensagem impopular a pessoas nada receptivas. Com a ajuda de Deus, Jeremias realizou o que ele nunca poderia ter conseguido fazer sozinho. — Leia Jeremias 20:7-9.

2 Muitos servos de Deus hoje compreendem os sentimentos de Jeremias. Diante da idéia de pregar de casa em casa, não poucos de nós já pensaram: ‘Eu nunca faria isso.’ No entanto, quando entendemos que Jeová deseja que proclamemos as boas novas, vencemos nossos receios e passamos a nos empenhar na pregação. Mesmo assim, muitos de nós já enfrentamos circunstâncias na vida que tornaram difícil, pelo menos por algum tempo, continuar a pregar. Não se pode negar que é um desafio começar a pregar de casa em casa e persistir nisso até o fim. — Mat. 24:13.

3 Será que você estuda a Bíblia com as Testemunhas de Jeová e, já por algum tempo, assiste às reuniões congregacionais, mas hesita em começar a pregar de casa em casa? Ou você é uma Testemunha de Jeová batizada que acha difícil participar no trabalho de porta em porta mesmo tendo condições físicas para isso? Esteja certo de que pessoas de todas as formações estão vencendo os desafios do ministério de casa em casa. Com a ajuda de Jeová, você também poderá vencê-los.

Reunir coragem

4 Você sem dúvida reconhece que a obra mundial de pregação não está sendo executada pelo poder ou sabedoria de homens, mas sim pelo espírito de Deus. (Zac. 4:6) O mesmo se dá no ministério de cristãos individuais. (2 Cor. 4:7) Veja o exemplo do apóstolo Paulo. Recordando certo período em que ele e seu companheiro missionário foram maltratados por opositores, ele escreveu: “Depois de primeiro termos sofrido e termos sido tratados com insolência em Filipos . . . , ficamos denodados, por meio de nosso Deus, para falar-vos as boas novas de Deus com bastante luta.” (1 Tes. 2:2; Atos 16:22-24) Pode ser difícil imaginar um pregador zeloso como Paulo passar por momentos de luta para não desistir de pregar. Mas, assim como nós, Paulo dependia do apoio de Jeová para falar as boas novas com coragem. (Leia Efésios 6:18-20.) Como podemos imitar o exemplo de Paulo?

5 Algo que nos ajuda a reunir coragem para pregar é a oração. Certa pioneira disse: “Eu oro para que possa falar com confiança, oro para que possa tocar o coração das pessoas e oro para que possa encontrar alegria no ministério. Afinal, essa obra é de Jeová, não nossa, de modo que nada podemos fazer sem a ajuda dele.” (1 Tes. 5:17) Todos nós precisamos pedir continuamente a ajuda do espírito santo de Deus para pregarmos com coragem. — Luc. 11:9-13.

6 O livro de Ezequiel revela algo mais que pode nos ajudar a falar com coragem. Numa visão, Jeová deu a Ezequiel um rolo escrito em ambos os lados contendo ‘endechas, gemidos e lamúria’ e ordenou-lhe que o comesse, dizendo: “Filho do homem, deves fazer o teu próprio ventre comer, para encheres os teus próprios intestinos com este rolo que te dou.” O que significava essa visão? Que Ezequiel tinha de assimilar completamente a mensagem antes de levá-la a outros. Ela se tornou parte dele, por assim dizer, afetando seus sentimentos mais íntimos. O profeta continuou o relato: “Eu comecei a comê-lo, e veio a ser na minha boca doce como mel.” Para Ezequiel, declarar a mensagem de Deus em público era um prazer, assim como saborear mel. Ele se sentiu muito honrado por representar a Jeová e cumprir sua designação divina, mesmo que isso significasse levar uma forte mensagem a um povo nada receptivo. — Leia Ezequiel 2:8–3:4, 7-9.

7 Nessa visão há uma lição valiosa para os servos de Deus hoje. Nós também temos uma forte mensagem para levar a pessoas que nem sempre reconhecem nossos esforços. Para continuarmos a encarar o ministério cristão como um privilégio dado por Deus, precisamos estar bem nutridos espiritualmente. Hábitos de estudo superficiais ou irregulares não serão suficientes para assimilarmos a Palavra de Deus de modo pleno. Você poderia melhorar a qualidade ou a freqüência de sua leitura e estudo pessoal da Bíblia? Poderia meditar mais no que lê? — Sal. 1:2, 3.

Como iniciar conversas bíblicas

8 Para muitos publicadores, a parte mais difícil do ministério de casa em casa é o contato inicial com o morador. Deve-se admitir que, em alguns territórios, é um desafio iniciar conversas. Alguns publicadores se sentem mais à vontade para falar com as pessoas quando iniciam sua apresentação com poucas palavras bem escolhidas e, em seguida, entregam um tratado ao morador, conforme exemplificado no quadro abaixo. O título do tratado ou uma ilustração colorida podem atrair a atenção do morador, dando-nos a oportunidade de mencionar em poucas palavras o objetivo de nossa visita e levantar uma pergunta. Outro método é mostrar ao morador três ou quatro tratados e convidá-lo a escolher um que lhe interesse. Naturalmente, nosso objetivo não é apenas entregar tratados ou usá-los em todas as casas, mas sim iniciar conversas bíblicas que resultem em estudos bíblicos.

9 Qualquer que seja o método que você use, a boa preparação o ajudará a se sentir confiante e a ser entusiástico no ministério de casa em casa. Um pioneiro observou: “Tenho mais alegria se estou bem preparado. Isso me faz querer usar minha apresentação.” Outro pioneiro disse: “Quando conheço bem o conteúdo das publicações que vou oferecer, fico mais animado para usá-las.” Embora seja proveitoso ensaiar em silêncio a apresentação, muitos acham que é ainda mais proveitoso fazer isso em voz alta. Isso os ajuda a dar o seu melhor a Jeová. — Col. 3:23; 2 Tim. 2:15.

10  Reuniões práticas para o serviço de campo contribuem para nossa eficiência e alegria no ministério de casa em casa. Se o texto para o dia tiver aplicação direta à atividade de pregação, poderá ser lido e considerado brevemente. No entanto, o irmão que dirige a reunião para o serviço de campo deve reservar tempo suficiente para considerar ou demonstrar uma apresentação simples e apropriada para o território, ou apresentar outra informação prática que possa ser usada no ministério naquele dia. Isso deixará os presentes ainda mais bem preparados para dar um testemunho eficaz. Com boa preparação, os anciãos ou outros que dirigem essas reuniões podem alcançar esse objetivo dentro do tempo concedido a tais reuniões. — Rom. 12:8.

O valor de escutar

11 Além da boa preparação, um profundo interesse pessoal em outros nos ajuda a iniciar conversas bíblicas e a tocar o coração dos ouvintes no ministério. Uma maneira de mostrar esse interesse é pelo modo como escutamos. Um superintendente viajante observou: “Ser paciente e demonstrar disposição para escutar as pessoas exerce um incrível poder de atração, e é uma maravilhosa expressão de caloroso interesse pessoal.” Escutar compassivamente pode ser a chave que abrirá o coração do morador, como mostra o seguinte caso real.

12 Numa carta publicada no jornal Le Progrès, de Saint-Étienne, França, uma mulher contou como foi a visita de duas pessoas que bateram na sua porta pouco depois de ela ter sofrido a trágica perda de sua filha de três meses de vida. “Eu logo vi que eram Testemunhas de Jeová”, escreveu. “Eu estava prestes a educadamente dispensá-las, mas uma brochura que estavam oferecendo me chamou a atenção. Era sobre por que Deus permite o sofrimento. Decidi convidá-las a entrar com a intenção de provar que estavam erradas. . . . Elas ficaram pouco mais de uma hora e me escutaram com grande compaixão. Quando estavam de saída, eu me senti muito melhor e concordei em receber outra visita.” (Rom. 12:15) Com o tempo, essa senhora aceitou um estudo bíblico. É importante notar que o que ela se lembrou daquela primeira visita não foi o que as Testemunhas disseram, mas sim o modo como a escutaram.

13 Quando escutamos de modo compassivo, na realidade permitimos que as pessoas nos digam por que precisam do Reino. Isso nos deixa em melhores condições de transmitir-lhes as boas novas. É provável que já tenha notado que evangelizadores eficazes são, em geral, bons ouvintes. (Pro. 20:5) Eles demonstram real interesse nas pessoas que encontram no ministério. Anotam não só o nome e o endereço, mas também os interesses e as necessidades da pessoa. Quando alguém levanta um assunto específico, eles o pesquisam e logo voltam para explicar o que encontraram. Como o apóstolo Paulo, eles adaptam a apresentação da mensagem do Reino às pessoas que encontram. (Leia 1 Coríntios 9:19-23.) Esse interesse sincero atrai pessoas para as boas novas e reflete maravilhosamente a “terna compaixão de nosso Deus”. — Luc. 1:78.

Mantenha uma atitude positiva

14 Jeová nos concedeu dignidade ao nos dar o livre-arbítrio. Apesar de ser o Deus Todo-Poderoso, ele não obriga ninguém a servi-lo, mas atrai as pessoas à base do amor, abençoando as que aceitam com apreço suas maravilhosas provisões. (Rom. 2:4) Como seus ministros, sempre que damos testemunho devemos estar preparados para apresentar as boas novas de uma maneira digna de nosso misericordioso Deus. (2 Cor. 5:20, 21; 6:3-6) Para isso é preciso ser positivo com relação às pessoas no nosso território. O que pode nos ajudar a vencer esse desafio?

15 Jesus disse a seus seguidores que não se preocupassem demais caso alguns rejeitassem a mensagem; em vez disso, deviam manter o foco no objetivo de encontrar os merecedores. (Leia Mateus 10:11-15.) Estabelecer alvos pequenos e alcançáveis pode nos ajudar a fazer isso. Certo irmão compara a si mesmo a um minerador. Seu lema é: “Minha esperança é encontrar ouro a qualquer momento hoje.” Outro irmão tem como alvo “encontrar uma pessoa interessada toda semana e voltar dentro de poucos dias para cultivar o interesse dela”. Alguns publicadores se esforçam em ler pelo menos um texto a cada morador, se possível. Que alvo realístico você poderia estabelecer para si mesmo?

16 O êxito do ministério de casa em casa não depende só da reação das pessoas no território. É verdade que a obra de pregação cumpre um papel vital na salvação dos sinceros, mas serve também a outros objetivos importantes. O ministério cristão nos permite demonstrar nosso amor a Jeová. (1 João 5:3) E possibilita que evitemos a culpa de sangue. (Atos 20:26, 27) Também avisa aos maus que “já chegou a hora do julgamento por [Deus]”. (Rev. 14:6, 7) Acima de tudo, pela pregação das boas novas, o nome de Jeová está sendo louvado em toda a Terra. (Sal. 113:3) Por isso, quer as pessoas escutem, quer não, temos de continuar a divulgar a mensagem do Reino. De fato, todos os nossos esforços de proclamar as boas novas são belos aos olhos de Jeová. — Rom. 10:13-15.

17 Apesar de muitos hoje desprezarem nossa obra de pregação, em breve eles vão encará-la de outra maneira. (Mat. 24:37-39) Jeová garantiu a Ezequiel que, quando se cumprissem as condenações que ele passaria a proclamar, a casa rebelde de Israel ‘saberia que houve um profeta no seu meio’. (Eze. 2:5) De modo similar, quando Deus executar seus julgamentos contra o atual sistema mundial, as pessoas terão de reconhecer que a mensagem que as Testemunhas de Jeová pregavam em lugares públicos e de casa em casa procedia do único Deus verdadeiro, Jeová, e que realmente serviam como seus representantes. Que privilégio é levar o nome e declarar a mensagem de Deus nestes tempos momentosos! Com a ajuda do poder de Deus, continuemos a enfrentar os desafios do ministério de casa em casa.

Como responderia?

• Como podemos reunir coragem para pregar?

• O que pode nos ajudar a iniciar conversas bíblicas no ministério de casa em casa?

• Como podemos mostrar interesse sincero em outros?

• O que pode nos ajudar a manter uma atitude positiva para com as pessoas no nosso território?

[Perguntas de Estudo]

 1. Que desafios Jeremias enfrentou, e como conseguiu vencê-los?

2, 3. Como os atuais servos de Jeová enfrentam desafios parecidos com os de Jeremias?

 4. O que habilitou o apóstolo Paulo a pregar as boas novas com coragem?

 5. O que pode nos ajudar a reunir coragem para pregar?

6, 7. (a) Que visão Ezequiel recebeu, e qual era seu significado? (b) Que lição a visão de Ezequiel ensina aos servos de Deus hoje?

 8. Que método tem ajudado alguns publicadores do Reino a iniciar conversas bíblicas no ministério de casa em casa?

 9. Por que é importante a boa preparação?

10. O que pode ser feito a fim de que as reuniões para o serviço de campo sejam práticas e proveitosas?

11, 12. Como escutar de modo compassivo pode nos ajudar a tocar o coração das pessoas com as boas novas? Exemplifique.

13. O que precisamos fazer para poder adaptar nossa apresentação das boas novas às pessoas que encontramos?

14. Como podemos refletir as qualidades de Jeová no nosso ministério?

15. (a) O que Jesus instruiu os apóstolos a fazer caso as pessoas rejeitassem a mensagem? (b) O que pode nos ajudar a manter o foco no objetivo de encontrar os merecedores?

16. Que razões temos para continuar a pregar?

17. O que as pessoas em breve terão de reconhecer?

[Quadro/Foto na página 9]

Sugestões para iniciar conversas bíblicas

Para começar:

▪ Após cumprimentar o morador, poderá entregar-lhe um tratado e dizer: “Meu objetivo é compartilhar um pensamento animador sobre este tema importante.”

▪ Ou oferecer um tratado e dizer: “Estou fazendo uma breve visita porque estou interessado em saber qual a sua opinião a respeito deste assunto.”

Se o tratado for aceito:

▪ Após uma breve pausa, com base no título do tratado pergunte ao morador o que ele acha do assunto.

▪ Ouça com atenção, procurando entender o ponto de vista do morador. Agradeça gentilmente seus comentários.

Para continuar a conversa:

▪ Leia e considere um ou mais textos, ajustando sua apresentação aos interesses e às necessidades da pessoa.

▪ Se houver interesse, ofereça uma publicação e, se possível, demonstre como se realiza um estudo bíblico. Combine voltar.