Mantenha “um cordão tríplice” no casamento

“Um cordão tríplice não pode ser prontamente rompido em dois.” — ECL. 4:12.

DEPOIS de ter criado a vida vegetal e a animal, Jeová Deus formou o primeiro homem, Adão. Mais tarde, Deus fez com que o homem caísse num sono profundo e, usando uma das costelas de Adão, fez uma ajudadora perfeita para este. Ao vê-la, Adão disse: “Esta, por fim, é osso dos meus ossos e carne da minha carne.” (Gên. 1:27; 2:18, 21-23) Jeová mostrou que aprovava isso, unindo o primeiro casal humano em casamento e os abençoando. — Gên. 1:28; 2:24.

2 Infelizmente, em pouco tempo a instituição divina do casamento foi atacada. Como assim? Um espírito mau, que veio a se chamar Satanás, enganou Eva, levando-a a comer da única árvore que era proibida ao casal. Em seguida, Adão juntou-se à esposa numa rebelião contra o governo justo de Deus e suas boas orientações. (Gên. 3:1-7) Quando Jeová perguntou ao casal o que haviam feito, ficou claro que o relacionamento deles já estava com problemas. Adão culpou a esposa, dizendo: “A mulher que me deste para estar comigo, ela me deu do fruto da árvore e por isso comi.” — Gên. 3:11-13.

3 Ao longo dos séculos, Satanás tem usado vários métodos astutos para promover conflitos conjugais. Por exemplo, às vezes ele usou líderes religiosos para difundir um conceito não-bíblico sobre o casamento. Alguns líderes judeus minimizavam os padrões de Deus, permitindo que o marido se divorciasse da esposa por motivos tão banais como salgar demais a comida. Mas Jesus disse: “Todo aquele que se divorciar de sua esposa, exceto em razão de fornicação, e se casar com outra, comete adultério.” — Mat. 19:9.

4 Satanás ainda procura ativamente romper vínculos conjugais. Uniões homossexuais, casais que vivem juntos sem se casar e divórcios fáceis de obter provam que ele está sendo muito bem-sucedido nesse respeito. (Leia Hebreus 13:4.) Como cristãos, o que podemos fazer para não sermos influenciados pelo prevalecente conceito distorcido do casamento? Consideremos algumas características de um casamento feliz e bem-sucedido.

Mantenha a Jeová no casamento

5 Para que um casamento seja bem-sucedido, é preciso que Jeová faça parte da relação. Sua Palavra diz: “Um cordão tríplice não pode ser prontamente rompido em dois.” (Ecl. 4:12) “Cordão tríplice” é uma expressão figurativa. Aplicada ao casamento, essa ilustração inclui o marido e a esposa, ou seja, os dois primeiros fios, entrelaçados com o fio central, Jeová Deus. Essa união com Deus dá ao casal a força espiritual para lidar com problemas, e é a chave para alcançar maior felicidade no casamento.

6 Mas o que o casal pode fazer para garantir que seu casamento seja comparável a tal cordão tríplice? O salmista Davi cantou: “Agradei-me em fazer a tua vontade, ó meu Deus, e a tua lei está nas minhas partes internas.” (Sal. 40:8) Nosso amor a Deus também nos motiva a servi-lo de coração pleno. Assim, ambos os cônjuges devem cultivar uma calorosa relação pessoal com Jeová e ter prazer em fazer Sua vontade. Devem também se esforçar em fortalecer o amor que o cônjuge tem por Deus. — Pro. 27:17.

7 Se a lei de Deus realmente estiver nas nossas “partes internas”, qualidades como fé, esperança e amor serão manifestadas e ajudarão a fortalecer o vínculo conjugal. (1 Cor. 13:13) Uma cristã chamada Sandra, casada há 50 anos, diz: “O que mais prezo no meu marido são suas orientações e conselhos espirituais e seu amor a Jeová, que é mais forte do que seu amor por mim.” Maridos, será que comentários similares podem ser feitos a respeito de vocês?

8 Como casal, vocês dão prioridade aos assuntos espirituais e interesses do Reino? Além disso, encaram realmente o cônjuge como seu companheiro no serviço a Jeová? (Gên. 2:24) O sábio Rei Salomão escreveu: “Melhor dois do que um, porque eles têm boa recompensa pelo seu trabalho árduo.” (Ecl. 4:9) De fato, marido e esposa têm de se esforçar arduamente para obter uma “boa recompensa” na forma de uma amorosa e duradoura união abençoada por Deus.

9 Um indicativo de que Deus faz parte do casamento é o esforço, tanto do marido como da esposa, em viver à altura dos requisitos divinos. O marido tem a obrigação primária de prover as necessidades materiais e espirituais da família. (1 Tim. 5:8) Ele também é incentivado a ser sensível às necessidades emocionais da esposa. Lemos em Colossenses 3:19: “Vós, maridos, persisti em amar as vossas esposas e não vos ireis amargamente com elas.” Certo erudito bíblico explicou que a expressão ‘irar-se amargamente’ com a esposa envolve “dirigir-lhe palavras cruéis, ou espancá-la, e negar-lhe afeto, cuidados, provisões, proteção e ajuda”. É óbvio que tal comportamento não seria apropriado num lar cristão. O marido que exerce a chefia com amor estimula na esposa a prontidão em se sujeitar.

10 A esposa cristã que deseja incluir Jeová no seu casamento também tem de viver à altura dos requisitos divinos. O apóstolo Paulo escreveu: “As esposas estejam sujeitas aos seus maridos como ao Senhor, porque o marido é cabeça de sua esposa, assim como também o Cristo é cabeça da congregação.” (Efé. 5:22, 23) Satanás enganou Eva, inventando a mentira de que ser independente de Deus traria felicidade duradoura. Hoje, o espírito de independência é bem visível em muitos casamentos. Para as mulheres tementes a Deus, porém, a sujeição a seu amoroso cabeça não é algo detestável. Elas se lembram de que Jeová designou Eva como “complemento” de seu marido, Adão, o que Deus com certeza considerou ser uma função honrosa. (Gên. 2:18) A esposa cristã que de bom grado coopera com esse arranjo divino é realmente “uma coroa” para seu marido. — Pro. 12:4.

11 Outra ajuda para que Deus continue a fazer parte do casamento é o casal estudar a Palavra de Deus juntos. Gerald, que já por 55 anos é feliz no casamento, diz: “O ingrediente mais vital num bom casamento é ler e estudar a Bíblia juntos.” Ele acrescenta: “Fazer coisas juntos, em especial coisas espirituais, faz o casal se achegar ainda mais um ao outro e a Jeová.” Estudar a Bíblia juntos ajuda a família a manter os padrões de Jeová bem claros na mente, aprofunda a espiritualidade e promove o progresso contínuo.

12 Casais felizes também oram juntos. Quando o marido ‘derrama seu coração’ com pedidos específicos relacionados com as circunstâncias do casal, o resultado só pode ser o fortalecimento do vínculo conjugal. (Sal. 62:8) Por exemplo, será muito mais fácil resolver qualquer divergência com o cônjuge depois que os dois, juntos, suplicarem orientação e instrução ao Todo-Poderoso. (Mat. 6:14, 15) Em harmonia com essa oração, seria muito apropriado que cada cônjuge fizesse questão de ajudar o outro e de ‘continuar a suportar e a perdoar um ao outro liberalmente’. (Col. 3:13) Lembre-se de que a oração demonstra confiança em Deus. O Rei Davi disse: “Os olhos de todos se fixam esperançosos em ti.” (Sal. 145:15) Quando ‘esperançosamente fixamos os olhos’ em Deus em oração, nós nos sentimos menos ansiosos porque sabemos que ‘ele tem cuidado de nós’. — 1 Ped. 5:7.

13 Outro segredo para incluir Jeová no casamento é assistir às reuniões congregacionais e trabalhar juntos no ministério. Nessas reuniões, os casais aprendem a combater as “artimanhas” que Satanás usa para dividir as famílias. (Efé. 6:11, nota) E marido e esposa que regularmente trabalham juntos no ministério aprendem a ‘se tornar constantes, inabaláveis’. — 1 Cor. 15:58.

Quando surgem dificuldades

14 É verdade que essas sugestões talvez não soem novas ou originais, mas por que não considerá-las francamente com seu cônjuge? Veja se algum desses aspectos não merece atenção adicional no seu casamento. A Bíblia admite, porém, que mesmo os que incluem Deus no casamento “terão tribulação na sua carne”. (1 Cor. 7:28) Por causa da imperfeição humana, da má influência deste mundo anárquico e das armadilhas do Diabo, até mesmo o casamento de servos fiéis de Deus pode vir a sofrer grande tensão. (2 Cor. 2:11) Mas Jeová nos habilita a lidar com tal tensão. Sim, é possível fazer isso. O fiel Jó perdeu seu gado, seus ajudantes e seus filhos. Contudo, a Bíblia diz: “Em tudo isso Jó não pecou, nem atribuiu a Deus algo impróprio.” — Jó 1:13-22.

15 A esposa de Jó, por outro lado, disse a ele: “Ainda te aferras à tua integridade? Amaldiçoa a Deus e morre!” (Jó 2:9) De fato, diante de tragédias ou outras situações difíceis, o resultante descontrole emocional pode levar a pessoa a agir de modo irracional. “A mera opressão pode fazer o sábio agir como doido”, observa o sábio. (Ecl. 7:7) Se ao sofrer aflições ou “opressão” seu cônjuge o agredir com palavras duras, tente manter a calma. Revidar o insulto pode fazer com que um, ou ambos, digam algo que piore a situação. (Leia Salmo 37:8.) Portanto, desconsidere qualquer “conversa irrefletida” que talvez seja causada por frustração ou desânimo. — Jó 6:3.

16 Os casados precisam ter expectativas realistas. Um cônjuge talvez note certa característica negativa no outro e pense: ‘Posso mudá-lo.’ Com amor e paciência, você talvez possa ajudar seu cônjuge a melhorar aos poucos. Não se esqueça, porém, de que Jesus comparou aquele que aponta falhas menores no outro a alguém que vê um “argueiro”, ou cisco, no olho de seu irmão, mas não percebe uma “trave”, ou poste, no seu próprio olho. Jesus nos exortou: “Parai de julgar, para que não sejais julgados.” (Leia Mateus 7:1-5.) Isso não significa que devemos ignorar falhas graves. Robert, casado há quase 40 anos, disse: “Ser aberto e franco um com o outro, e daí estar disposto a aceitar observações válidas, pode exigir dos cônjuges fazer mudanças na vida.” Portanto, seja equilibrado. Em vez de se atormentar por causa de qualidades que gostaria que seu cônjuge tivesse, aprenda a prezar as boas qualidades que ele ou ela tem. — Ecl. 9:9.

17 Podem surgir provações no casamento quando ocorrem mudanças nas circunstâncias da vida. O casal talvez enfrente desafios ao ter filhos. Pode ser que o cônjuge ou um filho fique muito doente. É possível que pais idosos precisem de cuidados especiais. Filhos adultos talvez se mudem para longe de casa. Outras mudanças podem vir em resultado de se cuidar de privilégios e responsabilidades teocráticas. Todas essas mudanças podem causar certa pressão e ansiedade no relacionamento.

18 Se a tensão no seu casamento o faz pensar que você já atingiu seu limite, o que poderá fazer? (Pro. 24:10) Não desista! Nada seria melhor para Satanás do que um dos servos de Deus abandonar a adoração pura. Ele ficaria ainda mais feliz se um casal fizesse isso. Assim, faça tudo ao seu alcance para que seu casamento continue a ser um cordão tríplice. Na Bíblia há muitos relatos de pessoas que permaneceram fiéis apesar de duras provações. Por exemplo, em certa ocasião, Davi abriu seu coração a Jeová, dizendo: “Mostra-me favor, ó Deus, porque o homem mortal . . . continua a oprimir-me.” (Sal. 56:1) Já se sentiu oprimido por um “homem mortal”? Quer a pressão se origine de fora, quer de alguém próximo de você, lembre-se: Davi encontrou a força para perseverar, e você também a pode encontrar. “Consultei a Jeová, e ele me respondeu”, disse Davi. “[Ele] me livrou de todos os meus horrores.” — Sal. 34:4.

Bênçãos adicionais

19 Neste tempo do fim, os cônjuges precisam ‘persistir em consolar e edificar um ao outro’. (1 Tes. 5:11) Não se esqueça de que Satanás afirma que nossa lealdade a Jeová se baseia no egoísmo. Ele usará todos os meios possíveis, incluindo romper o casamento, para quebrantar nossa integridade a Deus. Para repelir os ataques de Satanás, temos de depositar plena confiança em Jeová. (Pro. 3:5, 6) Paulo escreveu: “Para todas as coisas tenho força em virtude daquele que me confere poder.” — Fil. 4:13.

20 São muitas as bênçãos de incluir Deus no casamento. Isso certamente se confirmou no caso de Joel e sua esposa, casados há 51 anos. Ele diz: “Sempre agradeço a Jeová por minha esposa e nosso feliz companheirismo. Ela tem sido uma companheira ideal.” Qual é o segredo deles? “Sempre nos esforçamos em mostrar bondade, paciência e amor um ao outro.” Nenhum de nós fará isso de modo perfeito neste sistema. Ainda assim, esforcemo-nos arduamente para aplicar os princípios da Bíblia e manter Jeová no casamento. Se agirmos assim, nosso casamento será como “um cordão tríplice [que] não pode ser prontamente rompido em dois”. — Ecl. 4:12.

[Lembra-se?

• O que significa incluir Jeová no casamento?

• O que os casados devem fazer quando surgem dificuldades?

• Como podemos discernir se Deus está incluído no casamento?

[Perguntas de Estudo]

 1. Quem uniu o primeiro casal humano em casamento?

 2. Como Satanás causou divisão entre Adão e Eva?

 3. Que conceito errado desenvolveram alguns judeus?

 4. Como o casamento está sob ataque hoje em dia?

 5. Com relação ao casamento, o que significa a expressão “cordão tríplice”?

6, 7. (a) O que os cristãos podem fazer para assegurar que Deus faça parte de seu casamento? (b) O que certa irmã preza a respeito de seu marido?

 8. O que é preciso para ‘ter boa recompensa’ no casamento?

 9. (a) Que responsabilidades tem o marido? (b) De acordo com Colossenses 3:19, como o marido deve tratar a esposa?

10. Que atitude a esposa cristã deve manifestar?

11. Segundo certo irmão, o que tem ajudado seu casamento?

12, 13. (a) Por que orar juntos é tão importante para o casal? (b) Que outras atividades espirituais fortalecem o casamento?

14. Que fatores podem contribuir para a tensão marital?

15. Como alguns reagem sob pressão, e qual o melhor modo de os cônjuges lidarem com tais reações?

16. (a) Como as palavras de Jesus em Mateus 7:1-5 se aplicam ao casamento? (b) Por que o equilíbrio é tão importante no casamento?

17, 18. Quando os problemas aumentam, onde podemos buscar ajuda?

19. Como podemos repelir os ataques de Satanás?

20. Que bênçãos resultam de incluir Deus no casamento?

[Fotos na página 18]

Orar juntos ajuda os casais a enfrentar situações desafiadoras