A Palavra de Jeová É Viva

Destaques das cartas a Tito, a Filêmon e aos hebreus

ALGUM tempo depois de sua libertação do primeiro encarceramento em Roma, em 61 EC, o apóstolo Paulo visitou a ilha de Creta. Depois de analisar a condição espiritual das congregações locais, ele deixou Tito ali a fim de fortalecê-las. Mais tarde, provavelmente da Macedônia, Paulo escreveu uma carta a Tito para dar-lhe orientações sobre seus deveres e apoio apostólico às suas atividades.

Anteriormente, pouco tempo antes de sua soltura da prisão em 61 EC, Paulo escreveu uma carta a Filêmon, um cristão que vivia em Colossos. Era um pedido pessoal a um amigo.

Por volta de 61 EC, Paulo também escreveu aos irmãos hebreus na Judéia uma carta que mostrava a superioridade do cristianismo sobre o sistema judaico. As três cartas contêm conselhos valiosos para nós. — Heb. 4:12.

MANTENHA SUA SAÚDE ESPIRITUAL

Depois de orientar como fazer “designações de anciãos numa cidade após outra”, Paulo aconselhou Tito a ‘persistir em repreender com severidade os indisciplinados, para que fossem sãos na fé’. Ele exortou todos nas congregações em Creta a “repudiar a impiedade . . . e a viver com bom juízo”. — Tito 1:5, 10-13; 2:12.

Paulo deu outros conselhos para ajudar os irmãos em Creta a permanecerem espiritualmente sãos na fé. Ele instruiu Tito a se ‘esquivar de questões tolas e de lutas sobre a Lei’. — Tito 3:9.

Perguntas bíblicas respondidas:

1:15  Como podem “todas as coisas” ser “puras para os puros”, mas impuras para “os aviltados e os sem fé”? Para saber a resposta, é preciso entender o que Paulo quis dizer com “todas as coisas”. Ele não se referia a coisas que a Palavra escrita de Deus especificamente condena, mas a assuntos aos quais as Escrituras dão margem a decisões variadas por parte dos cristãos. Para a pessoa cujo pensamento se harmoniza com as normas de Deus, tais coisas são puras. Dá-se o contrário no caso daqueles que têm pensamento distorcido e consciência corrompida.*

3:5  Como os cristãos ungidos são ‘salvos por intermédio de um banho’ e ‘feitos novos por espírito santo’? Eles são ‘salvos por intermédio de um banho’ em que Deus os banhou, ou purificou, com o sangue de Jesus à base do mérito do sacrifício de resgate. Eles são ‘feitos novos por espírito santo’ porque se tornaram “uma nova criação”, como filhos de Deus gerados pelo espírito. — 2 Cor. 5:17.

Lições para nós:

1:10-13; 2:15. Os superintendentes cristãos devem corrigir corajosamente o que estiver errado na congregação.

2:3-5. Como no primeiro século, as atuais cristãs maduras devem ‘ser reverentes no comportamento, não caluniadoras, nem escravizadas a muito vinho, instrutoras do que é bom’. Assim serão bem-sucedidas em instruir em base pessoal “as mulheres jovens” na congregação.

3:8, 14. Fixar a ‘mente em manter obras excelentes’ é ‘excelente e proveitoso’ pois nos ajuda a ser produtivos no serviço de Deus e nos mantém separados do mundo perverso.

EXORTE “À BASE DO AMOR”

Filêmon foi elogiado por ser um exemplo de ‘amor e fé’. O fato de ele ter sido fonte de consolo para outros cristãos deu “muita alegria e consolo” a Paulo. — Filêm. 4, 5, 7.

Deixando um modelo para todos os superintendentes, Paulo lidou com a delicada situação de Onésimo dando, não uma ordem, mas sim uma exortação “à base do amor”. Ele disse a Filêmon: “Escrevo-te confiante no teu acatamento, sabendo que farás ainda mais do que as coisas que digo.” — Filêm. 8, 9, 21.

Perguntas bíblicas respondidas:

10, 11, 18  Como o anteriormente “inútil” Onésimo tornou-se “útil”? Onésimo, um escravo inconformado, fugiu da casa de Filêmon, em Colossos, e foi para Roma. É provável que também tenha roubado algo de seu amo para cobrir as despesas dessa viagem de 1.400 quilômetros. De fato, ele era inútil para Filêmon. No entanto, em Roma, Onésimo foi ajudado por Paulo a tornar-se cristão. Agora como irmão espiritual, esse ex-escravo “inútil” tornou-se “útil”.

15, 16  Por que Paulo não pediu a Filêmon que libertasse Onésimo? Paulo queria apegar-se estritamente à sua missão de ‘pregar o reino de Deus e ensinar as coisas concernentes ao Senhor Jesus Cristo’. Portanto, ele preferiu não se envolver em questões sociais, como a escravidão. — Atos 28:31.

Lições para nós:

2. Filêmon permitiu o uso de sua casa para reuniões cristãs. Certamente é um privilégio ter reuniões para o serviço de campo em nossa casa. — Rom. 16:5; Col. 4:15.

4-7. Devemos tomar a iniciativa em elogiar irmãos cristãos exemplares na fé e no amor.

15, 16. Acontecimentos desfavoráveis na vida não devem nos deixar ansiosos demais. Os resultados podem acabar sendo benéficos, como no caso de Onésimo.

21. Paulo esperava que Filêmon perdoasse Onésimo. Espera-se que nós também perdoemos um irmão que talvez nos tenha ofendido. — Mat. 6:14.

“AVANCEMOS À MADUREZA”

Para provar que a fé no sacrifício de Jesus é superior às obras da Lei, Paulo destacou a excelência do Fundador do cristianismo, Seu sacerdócio, Seu sacrifício e o novo pacto. (Heb. 3:1-3; 7:1-3, 22; 8:6; 9:11-14, 25, 26) Esse conhecimento com certeza deve ter ajudado os cristãos hebreus a lidar com a perseguição que sofreram dos judeus. Paulo exortou seus irmãos hebreus a ‘avançar à madureza’. — Heb. 6:1.

Qual é a importância da fé no cristianismo? ‘Sem fé é impossível agradar bem’ a Deus, escreveu Paulo. Ele encorajou os hebreus: “Corramos com perseverança a carreira que se nos apresenta”, fazendo isso com fé. — Heb. 11:6; 12:1.

Perguntas bíblicas respondidas:

2:14, 15  Ter Satanás “os meios de causar a morte” indica que ele pode causar a morte prematura de qualquer pessoa? Não. No entanto, desde o início do proceder maligno de Satanás no Éden, as suas mentiras têm causado a morte, uma vez que, por pecar, Adão transmitiu o pecado e a morte à família humana. (Rom. 5:12) Além disso, os agentes terrestres de Satanás têm perseguido os servos de Deus até a morte, como fizeram com Jesus. Mas isso não significa que Satanás tem poder ilimitado para matar qualquer pessoa que ele queira. Se fosse assim, ele já teria eliminado os adoradores de Jeová há muito tempo. Jeová protege seus servos como grupo e não permite que Satanás os extermine. Mesmo que Deus permita que alguns de nós morram sob os ataques de Satanás, temos certeza de que Ele vai desfazer qualquer dano que nos seja causado.

4:9-11  Em que sentido entramos no “descanso [de Deus]”? No fim dos seis dias de criação, Deus descansou de suas obras criativas, confiante que Seu propósito para com a Terra e a humanidade se cumpriria. (Gên. 1:28; 2:2, 3) ‘Entramos naquele descanso’ por desistirmos de realizar obras de justificação de nós mesmos e aceitarmos a provisão divina para nossa salvação. Quando exercemos fé em Jeová e obedientemente seguimos a seu Filho em vez de buscar interesses egoístas, temos todos os dias bênçãos reanimadoras e confortantes. — Mat. 11:28-30.

9:16  Quem é o “pactuante humano” do novo pacto? Jeová é o Autor do novo pacto e Jesus é o “pactuante humano”. Jesus é o Mediador desse pacto e, por meio de sua morte, proveu o sacrifício necessário para validá-lo. — Luc. 22:20; Heb. 9:15.

11:10, 13-16  Que “cidade” Abraão aguardava? Não era uma cidade literal, mas simbólica. Ele aguardava a “Jerusalém celestial”, composta de Cristo Jesus e seus 144 mil co-regentes. Esses co-regentes na sua glória celestial são chamados também de “cidade santa, Nova Jerusalém”. (Heb. 12:22; Rev. 14:1; 21:2) Abraão aguardava viver sob o governo do Reino de Deus.

12:2  Qual era a ‘alegria que se apresentou a Jesus’ pela qual “ele aturou uma estaca de tortura”? Era a alegria de ver o que o seu ministério realizaria, como, por exemplo, santificar o nome de Jeová, vindicar Sua soberania e resgatar da morte a família humana. Jesus também aguardava a recompensa de governar como Rei e servir como Sumo Sacerdote em favor da humanidade.

13:20  Por que o novo pacto é chamado de “eterno”? Por três razões: (1) nunca será substituído, (2) seus resultados são permanentes e (3) as “outras ovelhas” continuarão a se beneficiar do novo pacto depois do Armagedom. — João 10:16.

Lições para nós:

5:14. Devemos ser estudantes diligentes da Palavra de Deus, a Bíblia, e aplicar o que aprendemos. Não há outra maneira de ter as nossas “faculdades perceptivas treinadas para distinguir tanto o certo como o errado”. — 1 Cor. 2:10.

6:17-19. Ter a nossa esperança baseada solidamente na promessa e no juramento de Deus nos ajudará a não nos desviar do caminho da verdade.

12:3, 4. Em vez de ‘nos cansar e desfalecer nas nossas almas’ por causa de pequenas provações ou oposição, devemos progredir à madureza e aprimorar nossa habilidade de suportar provações. Devemos estar decididos a ‘resistir até o sangue’, ou seja, até a morte, se for preciso. — Heb. 10:36-39.

12:13-15. Não devemos permitir que uma “raiz venenosa”, ou qualquer pessoa na congregação que critique a maneira como as coisas são feitas, nos impeça de ‘endireitar as veredas para os nossos pés’.

12:26-28. As “coisas feitas”, não por Deus, — o inteiro sistema mundial, até mesmo o “céu” iníquo — serão abaladas, ou eliminadas para sempre. Quando isso acontecer, apenas “as coisas não abaladas”, isto é, o Reino e seus apoiadores, permanecerão. Como é vital proclamar zelosamente o Reino e viver à altura de seus princípios!

13:7, 17. Lembrar-se da admoestação de ser obediente e submisso aos superintendentes nas congregações nos ajuda a manifestar um espírito cooperador.

[Nota(s) de rodapé]