A Palavra de Jeová É Viva

Destaques do livro de Revelação  II

O QUE está em reserva para os que adoram a Jeová Deus e para os que não o adoram? Qual é o futuro para Satanás e seus demônios? Que bênçãos terão os humanos obedientes no Reinado Milenar de Cristo? As respostas a essas e a outras perguntas vitais são fornecidas em Revelação 13:1–22:21.* Esses capítulos contêm as últimas 9 das 16 visões que o apóstolo João recebeu perto do fim do primeiro século EC.

“Feliz é quem lê em voz alta, e os que ouvem as palavras desta profecia”, escreve João, e que “observam as coisas escritas nela”. (Rev. 1:3; 22:7) Ler e aplicar o que aprendemos no livro de Revelação pode afetar as motivações de nosso coração, fortalecer nossa fé em Deus e em seu Filho, Jesus Cristo, e nos dar uma brilhante esperança para o futuro.* — Heb. 4:12.

DERRAMADAS SETE TIGELAS DA IRA DE DEUS

“As nações ficaram furiosas”, diz Revelação 11:18, ‘e veio o próprio furor de Deus e o tempo designado para arruinar os que arruínam a terra’. Provendo um fundo histórico para isso, a oitava visão mostra a atividade de “uma fera, com dez chifres e sete cabeças”. — Rev. 13:1.

Na nona visão, João vê “o Cordeiro em pé no monte Sião” e com ele “cento e quarenta e quatro mil”. Estes foram “comprados dentre a humanidade”. (Rev. 14:1, 4) Seguem-se anúncios angélicos. Na visão seguinte, João observa “sete anjos com sete pragas”. Evidentemente, a ordem para derramar “as sete tigelas da ira de Deus” sobre vários segmentos do mundo de Satanás parte do próprio Jeová. As tigelas contêm pronunciações e alertas a respeito dos julgamentos que Jeová executará. (Rev. 15:1; 16:1) Essas duas visões dão detalhes sobre julgamentos do Reino adicionais relacionados com o terceiro “ai” e o toque da sétima trombeta. — Rev. 11:14, 15.

Perguntas bíblicas respondidas:

13:8  O que é o “rolo da vida do Cordeiro”? É um rolo simbólico que contém apenas os nomes dos que governam com Jesus Cristo em seu Reino celestial. Inclui os nomes dos cristãos ungidos que ainda estão na Terra e têm a esperança de receber vida no céu.

13:11-13  De que modo a fera de dois chifres age como dragão e faz descer fogo do céu? O fato de a fera de dois chifres — a Potência Mundial Anglo-Americana — agir como dragão indica que ela usa ameaças, pressões e violência para forçar a aceitação de seu tipo de governo. Faz sair fogo do céu no sentido de que presume exercer o papel de profeta por afirmar ter derrotado as forças do mal nas duas guerras mundiais do século 20 e ter vencido o comunismo.

16:17  O que é o “ar” sobre o qual é derramada a sétima tigela? O “ar” simboliza o modo de pensar satânico, “o espírito [inclinação mental] que agora opera nos filhos da desobediência”. O inteiro perverso sistema mundial de Satanás respira esse ar envenenado. — Efé. 2:2.

Lições para nós:

13:1-4, 18. “Uma fera”, que simboliza os governos humanos, ascende “do mar”, isto é, das turbulentas massas da humanidade. (Isa. 17:12, 13; Dan. 7:2-8, 17) Essa fera, criada e empossada por Satanás, tem o número 666, que denota elevada imperfeição. Identificar a fera nos ajuda a não segui-la com admiração nem adorá-la, como faz a humanidade em geral. — João 12:31; 15:19.

13:16, 17. Apesar das possíveis dificuldades que tenhamos em cuidar de atividades do cotidiano como “comprar ou vender”, não devemos ceder à pressão de permitir que a fera governe a nossa vida. Aceitar ‘a marca da fera na mão ou na testa’ seria o mesmo que permitir que a fera controle nossas ações ou afete nosso modo de pensar.

14:6, 7. A proclamação angélica nos ensina que devemos declarar as boas novas do estabelecido Reino de Deus com urgência. Devemos ajudar nossos estudantes da Bíblia a desenvolver um sadio temor a Deus e a dar-lhe glória.

14:14-20. Quando “a colheita da terra”, isto é, a “colheita” dos que serão salvos, estiver terminada, será tempo para o anjo lançar “no grande lagar da ira de Deus” a “videira da terra” ajuntada. Essa videira — o corrupto visível sistema de governos da humanidade com seus “cachos” de maus frutos — será então destruída para sempre. Devemos estar decididos a não nos deixar influenciar pela videira da Terra.

16:13-16. “Impuras expressões inspiradas” simbolizam a propaganda demoníaca que visa garantir que os reis da Terra não sejam influenciados pelo derramamento das sete tigelas da ira de Deus, mas, em vez disso, sejam manipulados em oposição a Jeová. — Mat. 24:42, 44.

16:21. É possível que pouco antes do fim deste mundo, a proclamação dos julgamentos de Jeová contra o sistema perverso de Satanás envolva incomuns e pesadas expressões verbais dos julgamentos de Deus, conforme possivelmente representado pela saraiva. Mesmo assim, a maioria dos humanos continuará a blasfemar a Deus.

O TRIUNFANTE REI GOVERNA

“Babilônia, a Grande”, o império mundial da religião falsa, é um repulsivo segmento do perverso mundo de Satanás. A 11.a visão retrata-a como “grande meretriz” — uma mulher imoral — “sentada numa fera cor de escarlate”. Ela está para ser totalmente destruída pelos “dez chifres” da própria fera em que está montada. (Rev. 17:1, 3, 5, 16) Comparando a meretriz a uma “grande cidade”, a visão seguinte anuncia sua queda e faz uma convocação urgente para que o povo de Deus ‘saia dela’. O desaparecimento dessa grande cidade é lamentado por muitos. Há alegria no céu, porém, por causa do “casamento do Cordeiro”. (Rev. 18:4, 9, 10, 15-19; 19:7) Na 13.a visão, o cavaleiro de “um cavalo branco” vai à guerra contra as nações. Ele destrói o perverso mundo de Satanás. — Rev. 19:11-16.

Mas que dizer da “serpente original, que é o Diabo e Satanás”? Quando será “lançado no lago de fogo”? Esse é um dos assuntos da 14.a visão. (Rev. 20:2, 10) As últimas duas visões dão vislumbres da vida no Milênio. Perto do fim da “revelação”, João vê ‘um rio de água da vida que corre pelo meio da rua larga’ e faz-se um maravilhoso convite a “quem tem sede”. — Rev. 1:1; 22:1, 2, 17.

Perguntas bíblicas respondidas:

17:16; 18:9, 10  Por que “os reis da terra” lamentam o fim da entidade que eles mesmos devastaram? A razão de seu lamento é puro egoísmo. Após a destruição de Babilônia, a Grande, reis da Terra evidentemente se darão conta de como ela era útil para eles. Ela lhes provia uma fachada religiosa para suas ações opressivas. Babilônia, a Grande, também os ajudou a recrutar jovens para os campos de batalha. Além disso, ela teve uma participação importante em manter o povo em sujeição.

19:12  Em que sentido ninguém a não ser o próprio Jesus conhece seu não-especificado nome? Esse nome parece representar o cargo e os privilégios de Jesus, conforme alistados em Isaías 9:6, que lhe são atribuídos no dia do Senhor. Ninguém a não ser ele próprio conhece esse nome no sentido de que seus privilégios são inigualáveis e apenas ele pode compreender o que significa exercer tão elevado cargo. No entanto, Jesus compartilha alguns desses privilégios com os membros de sua classe-noiva, na realidade ‘escrevendo sobre eles esse seu novo nome’. — Rev. 3:12.

19:14  Quem cavalgará com Jesus no Armagedom? Entre ‘os exércitos no céu’ que se juntarão a Jesus na guerra de Deus figuram anjos, bem como os ungidos vencedores que já tiverem recebido sua recompensa celestial. — Mat. 25:31, 32; Rev. 2:26, 27.

20:11-15  Os nomes de quem são escritos no “rolo [ou “livro”] da vida”? Trata-se do rolo que contém os nomes de todos os aprovados para a vida eterna — os cristãos ungidos, os membros da grande multidão e os fiéis servos de Deus que passarão pela ‘ressurreição dos justos’. (Atos 24:15; Rev. 2:10; 7:9) Os que reviverão na ‘ressurreição dos injustos’ terão seus nomes escritos no “rolo da vida” apenas se agirem em harmonia com as “coisas escritas nos rolos” de instruções que serão abertos durante o Milênio. No entanto, os registros não são feitos com tinta indelével. O registro dos nomes dos ungidos torna-se permanente ao se provarem fiéis até a morte. (Rev. 3:5) O registro dos nomes dos que receberão a vida na Terra se tornará definitivo depois que estes passarem no teste final no fim dos mil anos. — Rev. 20:7, 8.

Lições para nós:

17:3, 5, 7, 16. “A sabedoria de cima” nos ajuda a entender “o mistério da mulher e da fera [cor de escarlate] que a carrega”. (Tia. 3:17) Essa fera simbólica começou como Liga das Nações e foi mais tarde reavivada como Nações Unidas. Não deveria a revelação desse mistério nos mover a ser zelosos na pregação das boas novas do Reino de Deus e na proclamação do dia da execução do julgamento de Jeová?

21:1-6. Estejamos absolutamente certos de que as preditas bênçãos sob o governo do Reino se tornarão realidade. Por quê? Porque a respeito delas se diz: “Estão feitas!”

22:1, 17. O “rio de água da vida” representa as provisões de Jeová para resgatar os humanos obedientes do pecado e da morte. Certa medida dessa água já está disponível. Que todos nós não apenas aceitemos com gratidão o convite para ‘tomar de graça a água da vida’ mas também entusiasticamente estendamos esse convite a outros!

[Nota(s) de rodapé]

Para uma análise versículo-por-versículo do livro de Revelação, veja Revelação  Seu Grandioso Clímax Está Próximo!.

[Foto na página 5]

Que bênçãos maravilhosas receberão os humanos obedientes sob o governo do Reino!