Imite a lealdade de Itai

“GRANDES e maravilhosas são as tuas obras, Jeová Deus, o Todo-poderoso. Justos e verdadeiros são os teus caminhos, Rei da eternidade. Quem realmente não te temerá, Jeová, e glorificará o teu nome, porque só tu és leal?” Este cântico, entoado no céu pelos “que se saem vitoriosos em face da fera, e de sua imagem”, chama a atenção para a lealdade de Deus. (Rev. 15:2-4) Jeová deseja que seus adoradores imitem-no em demonstrar essa qualidade desejável. — Efé. 4:24.

Satanás, o Diabo, por outro lado, faz tudo ao seu alcance para separar os servos terrestres de Deus do amor do Deus a quem eles adoram. Ainda assim, muitos têm permanecido leais a Deus, mesmo sob as mais duras condições. Quanta gratidão podemos sentir por Jeová ter essa devoção em alta estima! De fato, temos a garantia: “Jeová ama a justiça e ele não abandonará aqueles que lhe são leais.” (Sal. 37:28) Para nos ajudar a permanecer leais, ele incluiu em sua Palavra relatos sobre muitos que agiram lealmente. Um desses é sobre Itai, o geteu.

‘Estrangeiro e exilado’

Provavelmente, Itai era nativo da renomada cidade filistéia de Gate, lugar de origem do gigante Golias e de outros temíveis inimigos de Israel. O experiente guerreiro Itai aparece subitamente no registro bíblico por ocasião da rebelião de Absalão contra o Rei Davi. Itai e 600 filisteus que o seguiram viviam então em exílio perto de Jerusalém.

A situação de Itai e seus seguidores talvez tenha feito Davi lembrar-se de seus dias como fugitivo exilado, quando ele e 600 guerreiros israelitas mudaram-se para território filisteu e entraram nos domínios de Aquis, rei de Gate. (1 Sam. 27:2, 3) O que Itai e seus homens fariam agora que Davi enfrentava a revolta de seu filho Absalão? Tomariam o lado de Absalão, permaneceriam neutros ou lançariam sua sorte com Davi e seus homens?

Imagine a cena: fugindo de Jerusalém, Davi pára num lugar chamado Bete-Meraque, que significa “A Casa Distante”. Esta era possivelmente a úItima casa em Jerusalém na direção do monte das Oliveiras antes de atravessar o vale do Cédron. (2 Sam. 15:17; nota) Ali Davi passa em revista suas tropas à medida que elas atravessam o vale. Com ele estão não apenas israelitas leais, mas também todos os queretitas e peletitas. Além desses, todos os geteus: Itai e seus 600 guerreiros. — 2 Sam. 15:18.

Com sincera empatia, Davi diz a Itai: “Por que irias tu também conosco? Volta e mora com o rei [pelo visto, referindo-se a Absalão]; pois és estrangeiro e além disso és um exilado do teu lugar. Foi ontem que chegaste, e far-te-ia eu hoje andar errante conosco, para ir quando vou aonde quer que eu for? Volta e toma teus irmãos de volta contigo, e que Jeová use para contigo de benevolência e fidedignidade!” — 2 Sam. 15:19, 20.

Em resposta, Itai faz esta declaração de inabalável lealdade: “Por Jeová que vive e por meu senhor, o rei, que vive, no lugar em que meu senhor, o rei, vier a estar, quer para a morte quer para a vida, lá virá a estar o teu servo!” (2 Sam. 15:21) Isso talvez lembrasse Davi das palavras similares ditas por sua bisavó Rute. (Rute 1:16, 17) Comovido com a declaração de Itai, Davi diz-lhe: “Vai e atravessa” o vale do Cédron. Em seguida, ‘Itai, o geteu, faz a travessia e também todos os homens e os pequeninos que estão com ele’. — 2 Sam. 15:22.

“Para a nossa instrução”

“Todas as coisas escritas outrora foram escritas para a nossa instrução”, diz Romanos 15:4. Que lições podemos aprender do exemplo de Itai? Considere o que pode tê-lo motivado a ser leal a Davi. Mesmo sendo estrangeiro e exilado da Filístia, ele reconheceu a Jeová como o Deus vivente e a Davi como o ungido de Jeová. Itai foi capaz de olhar além da animosidade existente entre israelitas e filisteus. Para ele, Davi não era apenas alguém que havia matado o “campeão” filisteu Golias e muitos outros conterrâneos de Itai. (1 Sam. 18:6, 7) Itai via a Davi como homem que amava a Jeová e, com certeza, reconhecia as notáveis qualidades de Davi. Por sua vez, Davi passou a ter um grande respeito por Itai. Até mesmo colocou um terço de suas tropas “debaixo da mão de Itai” na batalha decisiva contra as tropas de Absalão! — 2 Sam. 18:2.

Nós também devemos nos esforçar para ver além das diferenças culturais, raciais ou étnicas — superando qualquer vestígio de preconceito e animosidade —, e reconhecer as boas qualidades em outros. O vínculo que se formou entre Davi e Itai ilustra que conhecer e amar a Jeová pode nos ajudar a superar tais barreiras.

Ao refletirmos no exemplo de Itai, podemos nos perguntar: ‘Demonstro lealdade similar ao Davi Maior, Cristo Jesus? Mostro minha lealdade por participar com zelo na obra de pregar o Reino e fazer discípulos?’ (Mat. 24:14; 28:19, 20) ‘Até que ponto estou disposto a ir para provar minha lealdade?’

Os chefes de família também se beneficiam por meditar no exemplo de lealdade de Itai. Sua lealdade a Davi e sua decisão de seguir o rei ungido de Deus afetaram os homens de Itai. Do mesmo modo, as decisões que os chefes de família tomam em apoio à adoração verdadeira afetam suas famílias e talvez resultem em provações temporárias. No entanto, temos a garantia: “Com alguém leal [Jeová agirá] com lealdade.” — Sal. 18:25.

Depois da batalha de Davi contra Absalão, as Escrituras não dizem mais nada sobre Itai. No entanto, o vislumbre sobre ele na Palavra de Deus provê um notável entendimento sobre seu caráter durante aquela fase difícil da vida de Davi. A inclusão de Itai no registro inspirado prova que Jeová reconhece e recompensa esse tipo de lealdade. — Heb. 6:10.