• A Sentinela (2009)
  • Será que três reis magos realmente visitaram Jesus quando ele era bebê?

Nossos Leitores Perguntam

Será que três reis magos realmente visitaram Jesus quando ele era bebê?

A tradição ligada ao Natal, da América do Sul à Europa Oriental, da Europa Oriental à Ásia, quando retrata a cena da Natividade coloca três reis magos trazendo presentes caros para Jesus quando ele era bebê. Essa história é verdadeira? Ela se harmoniza com os fatos? Vejamos.

Dois Evangelhos, Mateus e Lucas, relatam o nascimento de Jesus. Esses relatos mostram que apenas pastores humildes dos campos ali perto visitaram Jesus quando ele nasceu. Os chamados reis magos na verdade não eram da realeza. Eram astrólogos e não se diz quantos eram. Os astrólogos não chegaram a ver um recém-nascido numa manjedoura. Eles encontraram Jesus quando ele era um menino e estava morando numa casa. A presença deles até mesmo pôs em perigo a vida de Jesus.

Leia com atenção o seguinte relato do nascimento de Jesus, que Lucas escreveu: “Havia . . . pastores vivendo ao ar livre e mantendo de noite vigílias sobre os seus rebanhos. E, repentinamente estava parado ao lado deles o anjo de Jeová, e . . . disse-lhes: ‘ . . . Achareis uma criança enfaixada e deitada numa manjedoura.’ . . . E foram apressadamente e acharam Maria, bem como José, e a criança deitada na manjedoura.” — Lucas 2:8-16.

Apenas José, Maria e os pastores estavam junto do bebê. Lucas não diz que havia mais alguém ali.

Agora veja o relato de Mateus 2:1-11 na versão Almeida, revista e corrigida: “Tendo nascido Jesus em Belém da Judéia, no tempo do rei Herodes, eis que uns magos vieram do Oriente a Jerusalém . . . E, entrando na casa, acharam o menino com Maria, sua mãe.”

Note que o relato diz apenas que eram “uns magos”, não “três magos”, e que eles primeiro viajaram do oriente para Jerusalém, não para a cidade onde Jesus nasceu, Belém. Na época em que chegaram a Belém, Jesus era um “menino” — já não era mais bebê — e não estava mais num estábulo, e sim numa casa.

A Bíblia Almeida usa a palavra “magos” para descrever esses visitantes. Outras traduções usam “homens sábios” ou “astrólogos”. Segundo A Handbook on the Gospel of Matthew (Manual do Evangelho de Mateus), a expressão  “homens sábios” é a tradução de “um substantivo grego que originalmente se referia a sacerdotes persas que eram peritos em astrologia”. E o The Expanded Vine’s Expository Dictionary of New Testament Words (Dicionário Expositivo Expandido de Palavras do Novo Testamento, de Vine) define a palavra como “mago, feiticeiro, alguém que finge ter poderes mágicos, um professor de bruxaria”.

Embora a astrologia e a bruxaria ainda sejam populares hoje, a Bíblia adverte contra essas práticas. (Isaías 47:13-15) Elas são formas de espiritismo e Jeová Deus as detesta. (Deuteronômio 18:10-12) É por isso que nenhum anjo de Deus anunciou o nascimento de Jesus aos astrólogos. No entanto, por meio de uma intervenção divina num sonho, eles foram avisados a não voltar para falar com o perverso Rei Herodes, pois ele queria matar Jesus. Então, “retiraram-se para o seu país por outro caminho”. — Mateus 2:11-16.

Será que os cristãos verdadeiros desejariam perpetuar a lenda da Natividade, que distorce a verdade sobre o nascimento de Jesus? Com certeza a resposta é não.