Quem foi Abraão?

POUCOS homens tiveram tanta influência nas religiões do mundo. Reverenciado por judeus, muçulmanos e também por cristãos, Abraão* é considerado “um gigante das Escrituras” e “um exemplo notável de fé”. A Bíblia o chama de “pai de todos os que têm fé”. — Romanos 4:11.

Por que Abraão é tão respeitado? Um dos motivos é que ele é a única pessoa a quem a Bíblia se refere especificamente como amigo de Deus — e ela faz isso três vezes! — 2 Crônicas 20:7, nota; Isaías 41:8; Tiago 2:23.

No entanto, em outros sentidos, Abraão era uma pessoa comum, assim como nós. Ele enfrentou muitas das dificuldades que nós enfrentamos — e foi bem-sucedido em lidar com elas. Gostaria de saber como ele fez isso? Veja o que a Bíblia diz sobre esse homem notável.

Sua formação

Abraão nasceu em 2018 AEC e foi criado em Ur. (Gênesis 11:27-31) Essa cidade era grande e próspera, e estava mergulhada na adoração de ídolos. É possível que Tera, pai de Abraão, estivesse entre os que adoravam vários ídolos. (Josué 24:2) Mas Abraão escolheu adorar apenas a Jeová* e não às imagens sem vida de outros deuses.

O que motivou Abraão a tomar essa decisão? Sabemos que sua vida coincidiu 150 anos com a de Sem, filho de Noé. Caso ele tenha tido contato com esse homem bem mais velho, como isso o afetou? Talvez Sem lhe tenha contado como foi sobreviver ao Dilúvio global. Ele também pode lhe ter ensinado a importância de adorar a Jeová, o Deus que preservou Sem e sua família durante aquele Dilúvio.

Quer tenha sido por meio de Sem, quer por outros meios, Abraão aceitou o que aprendeu sobre o Deus verdadeiro. Quando Jeová, “o examinador dos corações”, observou Abraão, ele viu coisas boas nele — e o ajudou a se tornar um homem ainda melhor. — Provérbios 17:3; 2 Crônicas 16:9.

Sua vida

Abraão teve uma vida plena e empolgante, muitas vezes desafiadora, mas de modo algum sem sentido. Veja apenas algumas das coisas pelas quais ele passou.

Quando Abraão morava em Ur, Deus o orientou a deixar sua terra natal e ir para uma terra que ele lhe mostraria. Embora Abraão e Sara não soubessem todos os detalhes — para onde iam e por quê — eles obedeceram. Mais tarde, Abraão e Sara passaram a morar em tendas na terra de Canaã, vivendo como residentes forasteiros pelo resto da vida. — Atos 7:2, 3; Hebreus 11:8, 9, 13.

Abraão e Sara ainda não tinham filhos quando Jeová prometeu fazer de Abraão uma grande nação. Ele prometeu também que todas as famílias da Terra seriam abençoadas por meio de Abraão. (Gênesis 11:30; 12:1-3) Mais tarde, Jeová confirmou essa promessa. Ele disse a Abraão que sua descendência seria tão numerosa quanto as estrelas do céu. — Gênesis 15:5, 6.

Quando Abraão tinha 99 anos e Sara quase 90, Jeová prometeu que eles teriam um filho. Isso parecia impossível do ponto de vista humano, mas Abraão e Sara logo descobririam que nada é ‘extraordinário demais para Jeová’. (Gênesis 18:14) Um ano depois, com 100 anos, Abraão se tornou pai de um filho, a quem deu o nome de Isaque. (Gênesis 17:21; 21:1-5) Deus prometeu especificamente que por meio de Isaque a humanidade teria grandes bênçãos.

Anos mais tarde, Jeová fez um pedido muito incomum a Abraão: que ele sacrificasse seu amado filho, Isaque, apesar de o jovem não ser casado e não ter filhos.* A ideia de perder seu filho deve ter sido muito angustiante para Abraão, mas ele se preparou para obedecer à ordem de Jeová e oferecer Isaque em sacrifício. Abraão acreditava firmemente que Deus tinha poder para ressuscitar Isaque, se necessário, a fim de cumprir Sua promessa. (Hebreus 11:19) Bem na hora em que Abraão ia oferecer seu filho, Jeová interveio, salvando Isaque. Ele elogiou Abraão por sua notável obediência. Daí, repetiu suas promessas a Abraão. — Gênesis 22:1-18.

Depois de 175 anos de vida, Abraão adormeceu na morte. A Bíblia diz que ele “morreu numa boa velhice, idoso e satisfeito”. (Gênesis 25:7, 8) Assim, Abraão viu o cumprimento de outra promessa de Deus — que ele teria um vida longa e morreria em paz. — Gênesis 15:15.

Seu legado

Abraão é muito mais do que um personagem religioso ou histórico de um passado distante. Até hoje, sua história é viva, fornecendo um excelente exemplo para todos nós. (Hebreus 11:8-10, 17-19) Consideremos quatro qualidades que Abraão demonstrou. Vamos começar com a qualidade que talvez seja a mais conhecida — a fé.

[Nota(s) de rodapé]

O nome original de Abraão era Abrão e de sua esposa, Sarai. Mais tarde, Deus mudou o nome de Abrão para Abraão, que significa “Pai Duma Multidão”, e mudou o nome de Sarai para Sara, que significa “Princesa”. (Gênesis 17:5, 15) Para facilitar, nesta série de artigos usaremos os nomes Abraão e Sara.

Jeová é o nome de Deus, conforme revelado na Bíblia.

[Quadro na página 4]

Um personagem fundamental na história bíblica

  Nos seus primeiros dez capítulos, o livro bíblico de Gênesis relata a história de vários homens de fé, incluindo Abel, Enoque e Noé. No entanto, ele dedica a maior parte dos 15 capítulos seguintes à vida de um homem — Abraão.

  Além disso, é na história de Abraão que alguns dos mais importantes conceitos da Bíblia são mencionados pela primeira vez. Por exemplo, no relato de sua vida encontramos . . .

▪ a primeira referência a Deus como Escudo, ou Protetor, de seus servos. — Gênesis 15:1; veja Deuteronômio 33:29; Salmo 115:9; Provérbios 30:5.

▪ a primeira menção de se depositar em Deus. — Gênesis 15:6.

▪ a primeira ocorrência da palavra profeta. — Gênesis 20:7.

▪ a primeira referência ao amor parental. — Gênesis 22:2.