[Foto na página 28]

Eliseu viu carros de fogo você consegue ver?

O rei da Síria perseguiu o profeta Eliseu até Dotã, uma cidade murada que ficava numa colina. O governante sírio enviou cavalos, carros de guerra e soldados, que chegaram à noite em Dotã. Ao amanhecer, o exército sírio já havia cercado a cidade. — 2 Reis 6:13, 14.

Quando o ajudante de Eliseu acordou e foi para fora, ele viu os que perseguiam o profeta. “Ai! meu amo. Que faremos?”, gritou ele. “Não tenhas medo”, disse Eliseu, “porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles”. Daí o profeta orou: “Ó Jeová, por favor, abre-lhe os olhos para que veja.” O relato continua: “Jeová abriu imediatamente os olhos do ajudante de modo que viu; e eis que a região montanhosa estava cheia de cavalos e de carros de guerra, de fogo, em torno de Eliseu.” (2 Reis 6:15-17) O que podemos aprender desse e de outros acontecimentos na vida de Eliseu?

Eliseu manteve-se calmo quando viu os sírios em volta da cidade porque confiava em Jeová e podia ver o poder protetor de Deus em ação. Nós não esperamos milagres hoje, mas conseguimos perceber que Jeová protege seu povo como grupo. Em certo sentido, nós também estamos cercados por cavalos e carros de fogo. Se conseguirmos ‘vê-los’ com nossos olhos da fé e sempre confiarmos em Deus, ‘moraremos em segurança’ e receberemos as bênçãos de Jeová. (Sal. 4:8) Vejamos como podemos nos beneficiar de outros acontecimentos na vida de Eliseu.

ELISEU COMEÇA A SERVIR A ELIAS

Certa vez, quando Eliseu estava arando um campo, o profeta Elias se aproximou e lançou seu manto oficial sobre ele. Eliseu entendeu o significado daquela ação. Ele fez um banquete, despediu-se de seus pais e deixou sua casa para ministrar Elias. (1 Reis 19:16, 19-21) Eliseu se colocou logo à disposição para servir a Deus do modo mais pleno possível. Por isso, ele se tornou um instrumento nas mãos de Jeová e por fim serviu como profeta no lugar de Elias.

Eliseu serviu Elias talvez por seis anos. Durante esse tempo, Eliseu era quem “despejava água sobre as mãos de Elias”. (2 Reis 3:11) Naquela época, era costume comer com as mãos, sem usar garfos, facas ou outros utensílios. Depois de uma refeição, um servo despejava água nas mãos do seu amo para deixá-las limpas. Assim, pelo menos algumas tarefas de Eliseu eram humildes. Mas para ele era um privilégio ser ajudante de Elias.

Da mesma forma hoje, muitos cristãos ingressam em várias modalidades de serviço de tempo integral. O que os motiva é sua fé e o desejo de dar o máximo para servir a Jeová. Algumas designações tornam necessário que eles deixem sua casa para realizar serviços — em Betel, em construções e assim por diante — que alguns talvez achem humildes. Nenhum cristão deveria considerar tais serviços como insignificantes ou humilhantes, pois Jeová os valoriza muito. — Heb. 6:10.

ELISEU SE APEGOU À SUA DESIGNAÇÃO

Antes de Deus ‘tomar Elias num vendaval para cima aos céus’, ele o enviou de Gilgal a Betel. Elias sugeriu que seu companheiro não fosse com ele, mas Eliseu disse: “Não te deixarei.” Durante a viagem, Elias insistiu mais duas vezes que Eliseu não fosse com ele, mas em vão. (2 Reis 2:1-6) Assim como Rute havia se apegado a Noemi, Eliseu se apegou a Elias. (Rute 1:8, 16, 17) Por quê? Pelo visto, porque Eliseu prezava o privilégio dado por Deus de ministrar Elias.

Eliseu deixou um excelente exemplo para nós. Se recebermos algum privilégio de serviço na organização de Deus, daremos valor a isso se tivermos em mente que estamos servindo a Jeová. Não há honra maior do que essa. — Sal. 65:4; 84:10.

“PEDE O QUE DEVO FAZER POR TI”

Enquanto os dois homens viajavam, Elias disse a Eliseu: “Pede o que devo fazer por ti antes de eu te ser tirado.” Eliseu fez um pedido similar ao que Salomão havia feito anos antes, ou seja, um pedido que envolvia coisas espirituais. Eliseu pediu que ‘viesse a ele duas parcelas do espírito de Elias’. (1 Reis 3:5, 9; 2 Reis 2:9) Em Israel, o filho primogênito devia receber em dobro a parte de uma herança. (Deut. 21:15-17) Assim, foi como se Eliseu pedisse para ser reconhecido como herdeiro de Elias em sentido espiritual. Além disso, pelo visto Eliseu quis ter o mesmo espírito corajoso de Elias, que era “zeloso por Jeová”. — 1 Reis 19:13, 14 (Versão Brasileira).

Como Elias reagiu a esse pedido? “Pediste uma coisa difícil”, disse o profeta. “Se me vires quando eu te for tirado, então te acontecerá assim; mas, se não, não acontecerá.” (2 Reis 2:10) Aparentemente, a resposta de Elias tinha dois sentidos. Primeiro, só Deus podia determinar se Eliseu receberia o que pediu. Segundo, se o pedido de Eliseu havia de ser atendido, ele tinha de manter sua decisão de permanecer com Elias, não importasse o que acontecesse.

O QUE ELISEU VIU

Como Deus encarou o pedido de Eliseu para receber duas parcelas do espírito de Elias? O relato diz: “Aconteceu que, seguindo eles andando, falando ao andarem, ora, eis um carro de guerra, de fogo, e cavalos de fogo, e eles passaram a fazer uma separação entre os dois; e Elias foi subindo aos céus no vendaval. Enquanto isso, Eliseu o via.”* Essa foi a resposta de Jeová a Eliseu. Eliseu viu Elias ser levado embora, recebeu uma parcela dupla do espírito de Elias e se tornou o herdeiro do profeta em sentido espiritual. — 2 Reis 2:11-14.

Eliseu pegou o manto oficial que havia caído de Elias e o vestiu. Aquele manto identificava então Eliseu como profeta de Deus. Outra evidência de sua designação foi quando ele mais tarde fez um milagre dividindo as águas do rio Jordão.

O que Eliseu viu quando Elias subiu no vendaval sem dúvida causou nele uma grande impressão. Afinal, quem não ficaria impressionado se visse cavalos e carros de fogo? Eles deram prova da resposta positiva de Jeová ao pedido de Eliseu. Quando Deus responde a nossas orações, não recebemos uma visão de carros de guerra e cavalos, de fogo. Mas conseguimos perceber que Deus usa grande poder para garantir que sua vontade seja feita. E, quando observamos Jeová abençoando a parte terrestre de sua organização, na realidade nós ‘vemos’ seu carro celestial em ação. — Eze. 10:9-13.

Eliseu teve muitas experiências que o convenceram do enorme poder de Jeová. De fato, o espírito santo de Deus o habilitou a realizar 16 milagres — o dobro do que Elias realizou.* A segunda vez que Eliseu viu cavalos e carros de fogo foi durante a situação crítica em Dotã, descrita no início deste artigo.

ELISEU CONFIOU EM JEOVÁ

Embora cercado por inimigos em Dotã, Eliseu permaneceu calmo, porque havia desenvolvido forte fé em Jeová. Nós também precisamos ter essa fé. Portanto, oremos pedindo o espírito santo de Deus para demonstrarmos fé e outros aspectos do fruto do espírito. — Luc. 11:13; Gál. 5:22, 23.

O que aconteceu em Dotã também deu a Eliseu bons motivos para confiar em Jeová e em seus invisíveis exércitos protetores. O profeta sabia que Deus tinha enviado forças angélicas para cercar os que sitiavam a cidade. Deus milagrosamente salvou Eliseu e seu servo por atacar o inimigo com cegueira. (2 Reis 6:17-23) Naquele momento crítico, como em outras situações, Eliseu demonstrou fé e total confiança em Jeová.

Assim como Eliseu, confiemos em Jeová Deus. (Pro. 3:5, 6) Se fizermos isso, “o próprio Deus nos mostrará favor e nos abençoará”. (Sal. 67:1) É verdade que não estamos literalmente cercados por cavalos e carros de fogo. Durante a futura “grande tribulação”, porém, Jeová nos protegerá como fraternidade mundial. (Mat. 24:21; Rev. 7:9, 14) Até lá, que sempre nos lembremos que “Deus é um refúgio para nós”. — Sal. 62:8.

[Nota(s) de rodapé]

Os céus a que Elias subiu não são o lugar de morada espiritual de Jeová e de seus filhos angélicos. Veja A Sentinela de 15 de setembro de 1997, página 15.

[Foto na página 28]

[Quadro na página 30]

ALGUMAS VITÓRIAS JURÍDICAS RECENTES

243 Número de vitórias em supremos tribunais já obtidas pelas Testemunhas de Jeová em todo o mundo

França  $8,2 milhões restituídos

Total (em dólares) restituído às Testemunhas de Jeová em 11 de dezembro de 2012 pelo governo da França depois de uma batalha jurídica de 15 anos

Grécia Conselho de Estado

O Conselho de Estado reconheceu em 2 de novembro de 2012 que as Testemunhas de Jeová, uma religião cristã bem conhecida, têm o direito de possuir locais de adoração

20 Vitórias obtidas na Corte Europeia dos Direitos Humanos desde abril de 2000

Coreia do Sul Decisão do Conselho de Direitos Humanos da ONU

25 de outubro de 2012 - a Coreia do Sul é obrigada a pagar indenização adequada a 388 objetores de consciência entre as Testemunhas de Jeová por violar seus direitos